Quinta-feira, 14 de abril de 2016 - 10h03
Indústrias 4.0 e a necessidade de simplificação tecnológica
Autoria de CIDA SOARES

Novas tecnologias, como a nuvem, a robótica e a internet das coisas, influenciam cada vez mais a forma como novos produtos são desenvolvidos e distribuídos ao mercado. E com essas transformações na chamada indústria 4.0, os sistemas de gestão de cadeias de fornecimento, ou supply chain management, serão um elo tecnológico fundamental para a transição para o futuro.

O mercado global tem registrado um aumento acelerado na demanda por sistemas de supply chain management, considerados uma vantagem competitiva para o crescimento dos objetivos do negócio, a satisfação do cliente, a agilidade e as melhoras operacionais. No mundo, esses sistemas alcançam 10,8% de crescimento anual, o equivalente a US$ 9,9 bilhões. E, agora que também operam em esquemas de nuvens, já registram um crescimento sustentável anual de 19%. Na América Latina esse crescimento alcança os três dígitos.

A nuvem já é uma realidade nos ambientes de tecnologia da informação, e sobretudo nas cadeias de fornecimento. De acordo com uma pesquisa realizada pelo IDC Connect, 92% das empresas consideram que a nuvem lhes permite inovar de forma mais rápida. E embora somente 19% tenham alcançado o amadurecimento neste âmbito, 51% conseguirão alcançá-lo em um prazo de dois anos. As cifras revelam uma grande oportunidade de transformar a operação de uma empresa e impulsionar a inovação para alcançar seus objetivos de negócio em médio prazo.

Com as vantagens da oferta de aplicações em nuvem, muitas empresas têm considerado migrar de suas licenças on premise ou em site. O motivo é simples: esta modalidade oferece os mesmos benefícios com a vantagem de prescindir de um alto investimento em infraestrutura, custos de manutenção e suporte. Até um tempo atrás, os sistemas de supply chain management on premise eram adotados por grandes companhias capazes de custear uma ferramenta de administração de até US$ 1,5 milhão, devido às licenças de software, à infraestrutura, à equipe para sua instalação e funcionamento, ao custo de implementação e ao tempo de instalação, que oscilava entre 12 e 18 meses.

Com a nuvem, os custos são significativamente mais baixos: diminuíram dez vezes, com um tempo de implementação que é de 12 semanas. As vantagens são notáveis em uma escala de custo-benefício e concedem a qualquer segmento do mercado as mesmas capacidades de operação para levar uma cadeia de fornecimento para uma indústria 4.0. Além disso, as informações estão disponíveis em tempo real para a tomada de decisões rápidas e efetivas e a experiência de usuário ocorre em um ambiente dinâmico e amigável.

A gestão de cadeias de fornecimento na nuvem é um recurso importante para a transição das indústrias 4.0. O primeiro passo é que as próprias empresas mudem a forma como enxergam os seus negócios. A forma como desenvolvem novos produtos deve migrar para um esquema de serviços e, como resultado, poderão criar novas propostas aos seus clientes e abrir novos canais de geração de entradas.

Cida Soares

Diretora de Vendas da Oracle do Brasil

Comentários




Obrigado por comentar!
Erro!