Domingo, 22 de abril de 2018
Dólar R$ 3,41
Euro R$ 4,18
Tecnologística no LinkedIn
Dicionário de Engenharia
DADO
É um fato isolado que juntado a outros dados e devidamente analisado transforma-se em informação.
DADO
Elemento a ser registrado em forma de algarismo, histórico, ou ambos ao mesmo tempo, referente a uma operação a ser escriturada.
DADOS DE BENCHMARK
São os resultados de uma investigação para determinar como os concorrentes ou as empresas lideres de classe obtém seu nível de desempenho.
DADOS PATRIMONIAIS
Elementos relacionados ao patrimônio da empresa. Sob o prisma contábil, definimos patrimônio como o conjunto de bens e direitos de um lado, contrapondo-se do outro, as obrigações.
DAF
Delivered At Frontier
DALTONISMO
Sensibilidade a apenas duas luzes das três primárias que produzem a gama cromática.
DAM
Despesas administrativas
DARPA
DARPA
DATA
Informação processada pelo computador.
DATA BASE
Armazenamento de grande quantidade de informações a respeito de determinado assunto.
DATA DE CORTE
Data que finaliza uma série histórica de dados e que inicia uma série projetada de dados.
DATA DE EXERCÍCIO DA OPÇÃO
Data de registro em pregão da operação de compra ou de venda a vista das ações-objeto da opção.
DATA DE ROLAGEM
Data final de um período de juros em um empréstimo a prazo repactuado.
DATA DE VENCIMENTO DA OPÇÃO
O dia que se extingue o direito de uma opção.
DATA EX-DIREITO
Data em que uma ação começará a ser negociada ex-direito (dividendo, bonificação, subscrição), na bolsa de valores.
DATA MINING
Conjunto de técnicas que executam tarefas como: generalizar regras por meio de um conjunto de exemplos conhecidos, detalhar uma estrutura de suas conclusões.
DATA VALOR COMPENSADA
Um dia no qual ambas as partes de um contrato de câmbio supõem que ele se confirme. Não compensados requer a entrega de uma moeda em um dia diferente da entrega da outra.
DATA VALOR DETERMINADA
Dia útil no qual pode ser feito um pagamento para liquidar uma transação de mercado monetário.
Data Warehousing
Data Warehousing
Data Warehousing
Data Warehousing
DATABASE
Maneira de administrar o processamento de arquivos projetado para estabelecer a independência dos programas de computação, dos arquivos de dados.
DAU
Defense Acquisition University
DAV
Departamento de administração de vendas.
DAY-TRADE
Conjugação de operações de compra e de venda realizadas em um mesmo dia, dos mesmos títulos, para um mesmo comitente, por uma mesma sociedade corretora, cuja liquidação é exclusivamente financeira.
DBMS
Database Management System
DC
Distribution Center
DDM – DAY TO DAY MANAGEMENT
É o mecanismo que traduz operacionalmente (estrutura e procedimentos) o conceito "market in". Trata-se de um mecanismo gerido pela linha. Os responsáveis pelas áreas funcionais devem utilizar os modelos adequados para alcance das melhorias.
DDP
Delivered Duty Paid
DDU
Delivered Duty Unpaid
DE STIJL
Movimento de 1917 com o nome da revista fundado por Theo van Doesburg, com formas abstratas geométricas e cores neutras.
DEBÊNTURE
Título emitido por uma sociedade anônima para captar recursos, visando investimento ou o financiamento de capital de giro. Pode ou não ser conversível em ações.
DEBÊNTURES CONVERSÍVEIS EM AÇÕES
Aquelas que, por opção de seu portador, podem ser convertidas em ações, em épocas e condições predeterminadas.
DECAIMENTO RADIOATIVO
Diminuição da atividade no decorrer do tempo, de uma amostra de um rádionuclídeo.
DECESSÃO
Nível de comparas em época de recessão, porem com a mentalidade de uma época depressiva.
DECESSÃO
Trata-se de uma situação de mercado, onde os gastos são recessivos com uma mentalidade depressiva onde o consumidor não quer comprar nada, custe o que custar.
DECISÃO
Parte do controle que consiste na seleção das alternativas de correções e determinação de providencias correspondentes.
DECISÃO GERENCIAL
Atividade que envolve conceitos teóricos, filosofia, métodos para se extrair informações de dados, análise para converter em informação úteis para possibilitar a melhoria das decisões gerencias.
DECISÃO NA CERTEZA
Decisão tomada com informações completas.
DECISÃO NO RISCO
Condição de decisão onde a análise considera várias alternativas futuras e todas elas associadas a uma determinada probabilidade.
DECISÕES INTERLOCUTÓRIAS Jurídico
Solução de questões surgidas durante a tramitação do processo, visando preparar a sentença, como as relacionadas com o ônus da causa, fixação de honorários dos peritos, tempestividade da defesa (contestação), cabimento de prova especial, saneador etc.
DECLARAÇÃO
Disposição que expressa uma informação.
DECLARAÇÃO DE NUTRIENTES
É a relação ou listagem ordenada dos nutrientes de um alimento.
DECLARAÇÃO DO FORNECEDOR
Modo pelo qual um fornecedor dá garantia escrita de que um produto, processo ou serviço está em conformidade com os requisitos especificados.
DECODIFICAÇÃO
Processo para que uma mensagem cifrada retorne ao texto original, numa linguagem clara.
DECODIFICADOR
Atividade mental que processa as mensagens do nervo ótico.
DECORADORES
São profissionais que intervém na fase final de desenvolvimento do produto, no sentido de valorizarem o produto com novas cores, contrastes, etiquetas e imagens visuais.
DEDUÇÕES ESTATUTÁRIAS
Parte dos lucros de uma empresa que, conforme determinação de seu estatuto social, não é distribuída aos acionistas.
DEFAULT
Ações que serão tomadas pelo programa de computação quando o usuário não especificou um parâmetro alternativo.
DEFEITO
Ocorrência em produto ou serviço que ocasiona o não atendimento as expectativas razoáveis de utilização e considerações de segurança do usuário, podendo ser classificado em 4 classes: muito sério, sério, importante, menor.
DEFEITO CRÍTICO
Defeito que poderá resultar em danos no produto e impede o desempenho das funções para as quais a embalagem foi projetada.
DEFEITO GRAVE
As especificações de desempenho não são atendidas na sua totalidade, e a embalagem poderá ser utilizada com restrições.
DEFEITO TOLERÁVEL
Defeito que não afeta o produto embalado e não reduz o desempenho das funções para as quais a embalagem foi projetada.
DEFINIÇÃO
Define a clareza de detalhes em uma foto digital, que depende do tamanho do pixel e do contraste.
DEFINIÇÃO DE PRIORIDADES
Técnica para assegurar a máxima utilização dos recursos, em todos os níveis da administração, no processo e no desdobramento do plano de ação de maneira específica e quantitativa.
DEFINIÇÃO FOTOGRÁFICA
Medida da clareza dos detalhes, dependo da resolução em tamanho do pixel e do contraste.
DEFINIÇÃO FOTOGRÁFICA
Medida da clareza dos detalhes, dependo da resolução em tamanho do pixel e do contraste.
DEFLAÇÃO
Redução de preço para o mesmo tipo e quantidade de bens e serviços.
DEFORMAÇÃO PLÁSTICA
Deslocamento de átomos das suas posições recíprocas que diferem das posições iniciais.
DEFORMAÇÃO PLÁSTICA
Deslocamento de átomos das suas posições recíprocas que diferem das posições iniciais.
DELINEAMENTO DE EXPERIMENTOS
É uma técnica utilizada para avaliar a influência de alguns parâmetros e respectivas interações no resultado, tendo-se estabelecido a priori valores experimentais realistas para os parâmetros.
DELINEAMENTO DE EXPERIMENTOS
Planejamento formal detalhando a orientação para se conduzir um experimento, como respostas, fatores, níveis, blocos, tratamento e ferramentas a serem utilizadas.
DELINEAMENTO DE EXPERIMENTOS
Técnica para a avaliação de alguns parâmetros e respectivas interações no resultado tendo-se estabelecido a priori os valores experimentais realistas para os mesmos parâmetros.
DELINEAMENTO DE EXPERIMENTOS - DOE - DESIGN OF EXPERIMENTS –
Um método eficiente de experimentação, que identifica fatores que afetam a média e a variação com realização mínima de testes.
DELINEAMENTO DE EXPERIMENTOS ROBUSTO
É uma técnica para planejamento de experimentos dos parâmetros do processo e do produto cujo objetivo é identificar as condições de maior estabilidade das características do produto. Ele minimiza a sensibilidade do produto quanto a variações dos processos, componentes e condições de fabricação para aumentar a probabilidade de sucesso da preparação e garantir um bom desempenho no tempo.
DELIVERABLES
Define os resultados que devem ser atingidos numa fase específica do programa PAP.
DELPHI
Técnica de avaliação qualitativa onde a opinião de especialistas são combinadas numa série de interações.
DEM
Dynamic Enterprise Modeling
DEMANDA
Chamamos então de demanda o número de unidades de uma certa mercadoria ou serviço que os consumidores estariam dispostos a comprar, numa certa unidade de tempo, em condições explícitas de ocasião, lugar e preço.
DEMANDA DEPENDENTE
Demanda derivada da desagregação das fichas de montagem e estrutura da listagem de materiais de um item ou produto agregado, não sendo, portanto projetada, mas simplesmente calculada. O item que atende a montagem tem demanda dependente e o mesmo item que atende a reposição têm demanda independente.
DEMANDA DERIVADA
Característica da demanda de produtos, complementares ou componentes, cujos valores dependem do nível de vendas dos produtos complementados ou compostos por estes produtos.
DEMANDA DO MERCADO
Quantidade de produtos ou serviços que os usuários estão prontos a adquirir a um certo preço.
DEMANDA INDEPENDENTE
Demanda de um item que não tem nenhuma relação com a demanda de outros itens, como a demanda de peças sobressalentes.
DEMING 14
Prática de administração proposta por Deming como segue: adote o propósito de melhoria contínua dos produtos e serviços, adote uma nova filosofia, não dependa de inspeção para se ter qualidade, reduza os custos utilizando fornecedores parceiros, adote a melhoria contínua dos processos, treine constantemente os colaboradores, fortaleça as lideranças, combata o temor, promova a integração das áreas, elimine os apelos e metas, elimine quotas e objetivos, remova as causas da falta de dignidade, eduque o seu pessoal e faça que todo mundo participe da mudança.
DEMING – CICLO
Tradicional roda PDCA (plan-to-check-action) utilizada para mostrar a interação entre marketing de desenvolvimento, desenvolvimento de produtos, produção e vendas, para se melhorar a qualidade da operação.
DEMOCRATIZAÇÃO DO CAPITAL
Processo pelo qual a propriedade de uma empresa fechada se transfere, total ou parcialmente, para um grande número de pessoas que desejam dela participar e que não mantém, necessariamente, relações entre si, com o grupo controlador ou com a própria companhia.
DEMONSTRATIVO DE RESULTADO
Peça contábil que mostra a intensidade de fluxos das variáveis operacionais, como a receita da empresa, os custos dos produtos vendidos e entregues aos clientes, o lucro bruto apurado resultado da dedução dos custos dos produtos da receita líquida. Deduzem-se as despesas de vendas, as administrativas e as financeiras, do lucro bruto e obtém-se assim o lucro operacional, finalidade primária deste demonstrativo.
DEMONSTRATIVO PATRIMONIAL
Peça contábil que reflete as variáveis de estoque de uma empresa, num certo final de período de avaliação contábil. Estas variáveis de estoque podem ser ativas, como estoque, caixa, imobilizados, ou passivas como patrimônio dos acionistas, valores a pagar a fornecedores, impostos a recolher e outras.
DEMURRAGE
DEMONSTRATIVO PATRIMONIA
DENSIDADE DE BIT
Refere-se à cor ou escala de cinza de um pixel individual. Um pixel com 8 bits por cor resulta numa imagem no padrão 24 bits, pois são três cores que multiplicam 8 bits. Os CCDs são coloridos pixel a pixel sendo dois bits, preto e branco, 4 bits 64 tons de cinza, 8 bits 256 tons de cinza ou cores, 24 bits 16,7 milhões de cores, 32 bits um bilhão de cores.
DENSIDADE DE BIT
Refere-se à cor ou escala de cinza, de um pixel individual. Um pixel com 8 bits por cor resulta numa imagem no padrão 24 bits (8 bits x 3 cores). Os CCD são coloridos por um método pixel por pixel, utilizando a seguinte orientação: 2 bits, preto e branco. 4 bits, 64 cores ou tons de cinza. Escala de cinza de 8 bits equivale a 256 cores. Resolução de cor de 16 bits equivale a 32.000 cores. Resolução de cor 24 bits equivale a 16,7 milhões de cores. Resolução de cor de 30/32 bits equivale a bilhões de cores.
DENSIDADE DE EMBALAGEM – CUBAGEM UNITÁRIA
Quantidade de embalagem de comercialização, que cabe em um metro cúbico.
DENSIDADE DE FILME
Relação do peso pelo volume, o que define a área de filme por quilo de produto. Menores densidades resultam em áreas maiores de filmes.
DENSIDADE DE UTILIDADE
Relação entre a utilidade marginal de um bem e o seu preço no mercado. Representa a utilidade marginal por unidade de preço, fator decisivo para decisão de compra.
DENSIDADE DE VALOR
Entende-se por densidade de valor de um produto, a relação entre o seu valor mercadológico e o seu custo industrial de produção. Esta expressão poderá ser estendida também pra valor de componentes do produto.
DENSIDADE DE VALOR
Valor de venda do produto, dividido pelo seu volume.
DENSIDADE ÓTICA
É a capacidade de uma cor aplicada na superfície do suporte impresso de absorver a luz incidente ou a transmitida pelo suporte transparente de um filme fotográfico.
DENSITOMETRIA
A desitometria é a técnica de medição por um desnsitômetro, do grau de escurecimento (ou enegrecimento) adquirido por uma emulsão fotográfica exposta, revelada e fixada. A transformação dos haletos de prata em prata metálica gera o escurecimento. Este escurecimento depende da exposição à luz, tipos de emulsão e o tipo de revelação.
DENSITÔMETRO
Este aparelho mede a capacidade dos suportes de absorver as luzes incidentes.
DEPARTAMENTO DE EMBALAMENTO
Classificação, pelo sistema de custeio, de área de atividade onde se realizam operações de embalamento de produtos acabados, envolvendo a embalagem de contenção, a embalagem de apresentação, a embalagem de comercialização, a embalagem de movimentação, tendo os seus custos acumulados transferidos por absorção em todo premontado ou produto que ali é processado. As matérias-primas utilizadas nesta área são incorporadas ao produto, por intermédio da valoração da lista padrão de materiais utilizados na sua manufatura.
DEPARTAMENTO DE MONTAGEM
Classificação, pelo sistema de custeio, de área de atividade onde se realizam operações de semi-acabados internos e componentes externos, gerando premontados ou mesmo produtos acabados, tendo os seus custos acumulados transferidos por absorção em todo premontado ou produto que ali é processado.
DEPARTAMENTO DE PRODUÇÃO
Classificação, pelo sistema de custeio, de área de atividade onde se realizam operações de conformação das matérias-primas, gerando semi-acabados, tendo os seus custos acumulados transferidos por absorção em todo o componente de produto que ali e processado.
DEPARTAMENTO DE SERVIÇO
Classificação, pelo sistema de custeio, de área de atividade onde se realizam operações de serviços a outros departamentos como, a manutenção, a segurança industrial, o fornecimento de utilidades, os serviços de pessoal, tendo os seus custos acumulados transferidos por absorção para outros departamentos e segundo algum critério, como rateio, ordem de serviço, e critérios estes que deverão ser mantidos constante durante todo o exercício fiscal.
DEPARTAMENTO USUÁRIO
Departamento que usa as embalagens em questão, para embalar os seus produtos.
DEPENDABILIDADE
Termo coletivo usado para descrever o desempenho quanto à disponibilidade e seus fatores de influência: confiabilidade, manutenabilidade e logística de manutenção.
DEPLOYMENT
Desdobramento articulado; passagem do geral para o particular de maneira articulada, integrada e sincronizada.
DEPÓSITO A PRAZO
A colocação de fundos numa instituição financeira por período de tempo fixo e maior do que um mês.
DEPÓSITO A VISTA
Fundos em cota corrente ativa e que poderá ser retirada a qualquer tempo.
DEPÓSITOS COMPULSÓRIOS
Porcentagem dos depósitos comerciais que os Bancos precisam manter em depósito no Banco Central, como instrumento de controle monetário e da inflação.
DEPRECIAÇÃO
Alocação ao valor do ativo permanente, da redução de seu valor segundo regras estabelecidas, valores que são levados a custo da produção ou às despesas mensais.
DEPRECIAÇÃO
Perda de valor econômico que sofrem os bens patrimoniais pelo desgaste ou obsolescência. Alguns bens depreciáveis são: máquinas, móveis e utensílios, veículos, imóveis, ferramentas, instrumentos, etc.
DEPRECIAÇÃO MONETÁRIA
Redução gradual do valor de uma moeda. A redução drástica do valor por ato de governo é uma desvalorização.
DEQ – DELIVERED EX QUAY
O fornecedor entrega a mercadoria no cais do porto de destino.
DERIVATIVOS
São os valores mobiliários cujos valores e característicos de negociação estão amarrados aos ativos que lhes servem de referência.
DES
Delivery Ex Ship
DESAGREGAÇÃO
Processo para determinar o local de relacionamento de um certo componente de um produto.
DESAGREGAÇÃO DAS FICHAS DE ENGENHARIA
Processo para determinar a identidade dos componentes, quantidades de cada item para as montagens, relacionamento e compatibilidade de itens, podendo ser realizada nível a nível, endentadas ou sumariadas.
DESÁGIO
Diferença, para menos, entre o valor nominal e o preço de compra de um título de crédito.
DESCONTO
Valor inicial descontado de um empréstimo, equivalente a quantidade de juros devida quando o empréstimo tiver que ser pago.
DESCRIÇÃO PADRONIZADA
Compreende o Nome Padronizado, Característicos Físicos e Identificação Suplementar, detalham cada item de suprimento. A Descrição Padronizada aplica-se a todos os itens de suprimento cuja aquisição exija detalhamento de dados de identificação.
DESCRIÇÃO REFERENCIAL
Descrição aplicada a itens de suprimento que possuem referencia de fornecedor, cuja aquisição não exige de imediato maiores detalhes de identificação. Constituído por: Nome Básico Referencia de Fornecedor e Código de Fornecedor.
DESCRIÇÃO REFERENCIAL
São dados resumidos de identificação de cada item de suprimento, constituídos, apenas, de Nome Básico, Referencia de Fornecedor e Código de Fornecedor. A Descrição Referencial aplica-se a itens de suprimento que possuem referencia de fornecedor, cuja aquisição não exige de imediato, maiores detalhes de identificação.
DESDOBRAMENTO DA FUNÇÃO QUALIDADE OU (QFD)
Um método estruturado no qual as necessidades do cliente são traduzidas em requisitos técnicos apropriados para cada estágio do desenvolvimento do produto e produção.
DESDOBRAMENTO DA QUALIDADE
Técnica para distribuir as necessidades do consumidor pelas características do projeto nos seus componentes, peças e processo de produção.
DESDOBRAMENTO DE CAUTELAS
Sistema de desdobramento de ações, efetuado pelas bolsas de valores, de modo a adequar a quantidade de ações ao lote-padrão.
DESDOBRAMENTO DO PLANO DE AÇÃO
Implantação dos planos de ação de um programa Kaisen, diretamente pelos gerentes de linha e indiretamente através da organização multifuncional.
DESECONOMIA DE ESCALA
Elevação paulatina do custo médio, quando as quantidades produzidas excedem o ótimo de Engenharia, elevação esta devido à aquisição de insumos a um preço mais caro devido ao esgotamento dos fornecimentos tradicionais da empresa e o incremento dos custos devido ao congestionamento da Logística Industrial.
DESEMPENHO
Nível em que o produto e sua embalagem desempenham os requisitos, mantém a sua utilidade ao longo do tempo especificado, de maneira confiável e segura, antes de ser descartado.
DESENHO DE LEIAUTE
Desenho em que está a embalagem aprovada para ser impressa.
DESENHO DO SISTEMA
É o primeiro estágio do Desenvolvimento de um Produto, com a aplicação dos conhecimentos científicos e de engenharia, com a construção de um protótipo funcional para se definira as condições iniciais das características do produto e do processo.
DESENHO INDUSTRIAL
Definimos Desenho Industrial, como o processo de adaptação dos produtos de uso, fabricados industrialmente às necessidades físicas e psíquicas do usuário ou grupos de usuários
DESENHO INDUSTRIAL
Forma plástica ornamental de um objeto ou conjunto ornamental de linhas e cores que possa ser aplicado a um produto, proporcionando resultado visual novo e original na sua configuração externa e que possa servir de tipo de fabricação industrial.
DESENHO PARA A MANUFATURA DPM
Expressão que congrega o conceito de operação, manufaturabilidade, montagem e embalamento.
DESENHO PARA A MONTAGEM – DFA
Características de desenvolvimento de um produto e sua embalagem, para resultar em uma montagem fácil e segura.
DESENHO PARA A OPERAÇÃO –
DFO Características de desenvolvimento do produto, levando em conta os requisitos da manufatura e da movimentação, nos canais de distribuição.
DESENHO PARA A QUALIDADE
Introdução durante o desenvolvimento do projeto do produto, de características de construção, fabricação, montagem e embalamento, que naturalmente proporcionem ao produto, características naturais de qualidade.
DESENHO PARA O SERVIÇO
Introdução durante o desenvolvimento do projeto do produto, de características que racionalize e facilite a prestação do serviço de pós-venda.
DESENHOS DE FABRICAÇÃO
Estes documentos detalham as dimensões das peças a serem fabricados internamente, detalhando as tolerâncias das dimensões, acabamentos das superfícies, fornecendo a engenharia de manufatura os subsídios para a elaboração das fichas de processo, dos roteiros de fabricação e documentação do controle da qualidade. Dos desenhos de fabricação poderemos retirar os roteiros de fabricação para ser utilizado pelo operador da máquina executar uma conformação específica na peça
DESENHOS DE MONTAGEM
Estes desenhos fornecem a informação para a montagem do produto, apresentando somente as vistas dos conjuntos montados, detalhes, vistas em corte e relação de todos os componentes e semi acabados a serem utilizados na linha de montagem. Os desenhos podem ser em perspectivas para facilitar a visualização pelos montadores do produto.
DESENVOLVEDORES
São profissionais engajados numa empresa, cientes dos seus planos estratégicos a respeito da futura linha de produtos e conhecedores dos segmentos de mercado onde a empresa deseja atuar e que trabalham em perfeita sintonia com as outras atividades da Equipe de Desenvolvimento e com os profissionais dos parceiros.
DESENVOLVIMENTO
Utilização sistemática de conhecimentos, científicos ou tecnológicos, geralmente alcançados por meio de pesquisas, com a finalidade de se obter novos produtos ou processos para bens ou serviços, ou ainda alcançar significativos melhoramentos daqueles já existentes.
DESENVOLVIMENTO CIENTÍFICO
Atividade de pesquisa para a compreensão daquilo que a natureza sempre apresentou e não foi desvendado anteriormente.
DESENVOLVIMENTO DE ORGANIZAÇÕES
Processo de melhoria da maneira como a organização funciona, como é administrada e como reage a mudança do meio ambiente.
DESENVOLVIMENTO DO PRODUTO
Conjunto de ações de engenharia, com a finalidade de transformar as especificações do Marketing de Desenvolvimento, em um artigo industrial manufaturável.
DESENVOLVIMENTO DO PRODUTO
É um conjunto de tarefas de cunho técnico, com o intuito de fazer o projeto do produto crescer em detalhamento, funcionalidade e resolução de pontos críticos de apresentação e manufaturabilidade.
DESENVOLVIMENTO SIMULTÂNEO
é definido como um procedimento sistemático para a integração concorrente do processo de desenvolvimento dos produtos e da manufatura e atividades de suporte. Esta atividade considera o ciclo de vida previsto, o desenho da qualidade, o projeto do custo industrial, os requisitos do mercado, o cronograma de desenvolvimento e de lançamento do produto no mercado.
DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO
Atividade de pesquisa para a geração de produtos que possam apresentar resultado econômico. DESIGN – Design é um processo configurativo para concretizar uma idéia de forma ou modelos funcionais, resultando no projeto de um produto, passível de ser fabricado de forma repetitiva.
DESIGN
É todo o conjunto das impressões feitas que não varia com o tipo especificado. Por exemplo, o design de um cartucho de um produto é todo a impressão do cartucho menos a sua rubrica.
DESIGN
O fabricante de produtos industriais define o design como o emprego econômico de meios estéticos no desenvolvimento de produtos, para atrair a atenção de compradores, pela otimização dos valores de uso dos produtos comercializados.
DESIGN
Processo de adaptação do ambiente artificial às necessidades físicas e psíquicas dos homens na sociedade.
DESIGN
Projeto da forma do produto e seu ajustamento com o usuário.
DESIGN
Trata-se do processo de resolução dos problemas resultantes das necessidades humanas, sendo um processo configurativo para concretizar uma idéia de forma ou modelos funcionais, resultando no projeto de um produto, passível de ser fabricado de forma repetitiva.
DESIGN BIOMORFO
Estilo onde se imita a aparência de um organismo vivo.
DESIGN DO LUXO
É a manifestação da riqueza para impressionar, retratando a importância da exterioridade e a relevância da aparência sobre a substância. “Para que servem torneiras de ouro se delas sai água contaminada?”
DESIGN ENGINEERING
Conjunto de atividades da área de desenvolvimento de produtos e engenharia de processos.
DESIGN ERGONÔMICO
Os produtos são projetados para se adequarem ao ser humano e o relacionamento deste com o meio ambiente.
DESIGN FOR MANUFACTURABILITY
Atividade dedicada à simplificação das partes, dos produtos e processos para a melhoria da qualidade e redução do custo do produto desenvolvido.
DESIGN FOR MANUFATURE AND ASSEMBLY (DFMA)
Desenvolvimento do produto desde o início das atividades, visando uma manufatura e uma montagem simples e econômica.
DESIGN FOR QUALITY
Desenvolvimento de produto que adota a captura das medidas da qualidade, para que o desenvolvimento atenda as necessidades do mercado, exercendo bem as funções, atendendo as necessidades estéticas e consolidando um custo adequado antes do início da fabricação.
DESIGN GRÁFICO
Atividade técnica e criativa para geração de imagens, apoiada na análise prévia, organização e métodos de apresentação de soluções visuais para os problemas de comunicação.
DESIGN INDUSTRIAL
Abrange toda a atividade que tende a transformar em produto industrial passível de fabricação, as idéias para a satisfação de determinadas necessidades de um individuo ou grupo.
DESIGN INDUSTRIAL
Determinação das propriedades formais dos produtos industrializados. Relações estruturais e funcionais para o produto se ajustar ao usuário e ao processo de fabricação.
DESIGN INDUSTRIAL
É o processo de adaptação dos produtos de uso, fabricados industrialmente, ás necessidades físicas e psíquicas dos usuários ou grupos de usuários.
DESIGN ORGÂNICO
Estilo que reflete a curvilinearidade das formas naturais, possibilidade surgida com as técnicas modernas de moldagem.
DESINFECÇÃO
Operação de redução, por meio físico ou agente químico, do número de microorganismo a um nível que não comprometa a segurança do alimento.
DESITOMETRIA
É a técnica de medição por um desitômetro, do grau de escurecimento (ou enegrecimento) adquirido por uma emulsão fotográfica exposta, revelada e fixada. A transformação dos haletos de prata, em prata metálica gera o escurecimento. Este escurecimento depende da exposição à luz, tipos de emulsão e o tipo de revelação.
DESLOCAMENTO
Mudança de mercadorias de local por manuseio, movimentação ou transporte.
DESLOCAMENTOS REPETITIVOS
Deslocamentos que são repetidos de maneira cadenciada que fazem parte da organização atual do processo, e que podem ser mecanizados por equipamento de programação fixa.
DESPACHOS Jurídico
São os atos do Juiz praticados no processo, de ofício ou a requerimento da parte, a cujo respeito à lei não estabelece forma. O Despacho poderá ser ex offício ou a requerimento da parte, recebendo contestação, abrindo vista à parte, designando datas, determinando intimação do Perito, Testemunhas etc.
DESPATCH
Prêmio devido ao contratante, quando o navio contratado permanece nos portos, menos tempo do que o acordado.
DESPERDÍCIO
Desperdício é todo o custo a mais, que a fábrica utiliza alem do preconizada nas fichas de engenharia editadas pela Engenharia do Produto.
DESPERDÍCIO INDUSTRIAL
Trata-se da utilização dos insumos de produção numa quantidade mais elevada da preconizada pelas fichas de engenharia que definem as quantidades padrões. Entendem-se como estes insumos às matérias primas, os componentes e o tempo utilizado na realização de cada conformação, pré-montagem ou montagem final do produto.
DESPESAS
Dispêndios debitados periodicamente à conta de resultado e que não incorporam ao valor do produto acabado.
DESPESAS COM ALUGUEL
Valores referentes a aluguéis que a empresa paga a terceiros para sua operacionalização: aluguéis de imóveis, máquinas, equipamentos, etc.
DESPESAS COM PESSOAL
Valores destinados a remunerar ou beneficiar o pessoal efetivo da empresa (não considerando funcionários terceirizados). Nestes valores devem estar inclusos: salários, benefícios, encargos sociais, gastos com treinamento, comissões, remuneração de diretoria e despesas com viagem.
DESPESAS FINANCEIRAS
Referem-se a juros e despesas e taxas pagas por empréstimos obtidos.
DESPESAS FINANCEIRAS COMERCIAIS
Despesas financeiras do financiamento das vendas, que seria calculado pelo valor efetivo das duplicatas, menos o valor presente dos faturamentos efetuados, a taxas de mercado financeiro.
DESPESAS FINANCEIRAS DE INSTALAÇÃO
Despesas financeiras dos financiamentos externos para implantação da empresa.
DESPESAS FINANCEIRAS DOS ESTOQUES
Despesas financeiras de manutenção dos estoques, que seria calculado pelos valores médios dos estoques mantidos pela empresa, multiplicados pela taxa média de mercado financeiro.
DESPESAS FINANCEIRAS OPERACIONAIS
São despesas financeiras, formada pelas despesas financeiras resultante do financiamento das vendas, que seria calculado pelo valor efetivo das duplicatas, menos o valor presente dos faturamentos efetuados, a taxas de mercado financeiro e as despesas financeiras de manutenção dos estoques, que seria calculado pelos valores médios dos estoques mantidos pela empresa, multiplicados pela taxa média de mercado financeiro.
DESPESAS FIXAS
Dispêndios não variáveis com o faturamento da empresa, e que são debitados periodicamente à conta de resultado e que não incorporam ao valor do produto acabado.
DESPESAS MERCADOLÓGICAS
São despesas que incluem o custo à despesa de promoção para sustentação da marca, as despesas da força de vendas, o sistema de serviço ao consumidor, manutenção de estoques de produtos acabados para garantir liquidez de aviamento dos pedidos, distribuição urbana, as comissões dos vendedores e margens de comercialização.
DESVIO PRÉ-PRODUÇÃO
Desvio dos requisitos especificados originalmente para um produto, antes de sua produção.
DEVICE
Componente ligado ao computador.
DFDC
Coleta de dados por rádio freqüência.
DFE
Design For Environment
DFIN
Despesa financeiras operacionais, calculadas como a diferença entre o valor futuro das duplicatas e o valor presente das mesmas duplicatas. A receita operacional bruta denominada “financeira”, deduzida das despesas financeiras operacionais, forneceria um montante equivalente ao faturamento bruto à vista.
DFL
Demand Flow Leadership
DFM
Demand Flow Manufacturing
DFM
Design For Manufacturability
DFMA – DESIGN FOR MANUFACTURABILITY AND ASSEMBLY
Desenho para Manufatura e Montagem – Trata-se de um procedimento simultâneo de engenharia para otimizar o ajustamento entre a função de design, da manufaturabilidade , da montagem fácil e racional, dos componentes e dos serviços post-venda. Esta atividade procura utilizar métodos eficientes e fáceis para a manufatura, desenvolvem componentes racionais, reduzem a contagem das partes e estabelece e pré-contagem delas, comprova a facilidade de montagem de cada parte e comprova a facilidade de se trocar componentes e realizar manutenção no produto.
DFMEA – ANÁLISE DE MODO E EFEITOS DE FALHA DE PROJETO
Técnica analítica da desenvolvimento de produtos, para assegurar que os modos de falha em potencial e as suas causas, tenham sido consideradas e endereçados.
DFMEA – DESIGN FAILURE MODE AND EFFECTS ANALYSIS
Análise das Causas de Falhas de Projeto e suas Consequências – É um procedimento detalhado, analítico e sistemático, para identificar o modo de falha potencial de projeto de modo a minimizar ou eliminar seus efeitos atraves de mudancas de projeto do produto.
DIAGRAMA CAUSA E EFEITO
Diagrama que ilustra as causas principais e secundárias que determinam a ocorrência de um efeito ou de um sintoma, que denominamos problema.
DIAGRAMA COMPARE
Diagrama utilizado para orientar reprojetos de produtos, que define as tarefas a serem implementadas e avaliam-se os recursos monetários a serem alocados para que a tarefa seja executada.
DIAGRAMA DE BLOCOS
Diagrama que mostra as operações, seus inter-relacionamentos e interdependências dos componentes de um sistema
DIAGRAMA DE BLOCOS
Modo de apresentar a estrutura de uma entidade, em que as partes constitutivas são representadas por retângulos, círculos ou outra figura, relacionadas por uma razão temporal ou de procedência, ou hierárquica.
DIAGRAMA DE CAUSA E EFEITO
Estrutura do Método que expressa a série de causas e efeitos de um problema. É usado para ordenação das causas que atuam em determinado efeito.
DIAGRAMA DE DISPERSÃO
Gráfico cartesiano que representa a relação que existe entre duas variáveis. Verifica a existência ou não de correlação entre duas variáveis.
DIAGRAMA DLI
Diagrama para facilitar a implantação de racionalizações, entrando no modelo a dificuldade de implantação devido ao nível dos investimentos necessários, lucro gerado pela alteração e nível de impedimentos técnicos para executar-se a alteração.
DIAGRAMA FAST – FUNCTION ANALYSIS SYSTEM TECHNIQUE
Diagrama para análise das funções.
DIE-CUTING
The process of cutting shapes from paperboard using cutting or stamping dies or laser.
DIFERENCIAÇÃO CONCORRENTE
Diferenciação do produto tangível ou intangível, em relação ao da concorrência, para atender o mesmo mercado, de forma mais competitiva, sem desposicionar o produto no segmento de mercado ao foi destinado.
DIFERENCIAÇÃO DE OFERTA
Diferenciação que se introduz no produto para prepará-lo para ser comercializado em um outro segmento de mercado, superior ou inferior ao segmento no qual ele vem sendo comercializado.
DIFERENCIAÇÃO DO PRODUTO
Diferenças positivas geradas no desenvolvimento do projeto, a respeito da forma, da tecnologia, dos materiais, da funcionalidade, da embalagem e do visual mercadológico e que agradarão o usuário.
DIFERENCIAL
Combinação de possíveis compras e vendas de opções sobre a mesma ação-objeto, porém de séries diferentes.
DIFERENCIAL DE ALÍVIO (BLOWN-DOWN)
É o valor expresso em porcentagem entre a pressão de abertura e fechamento.
DIFERENCIAL DE JUROS ACESSÍVEL LÍQUIDO
Diferença entre as taxas de juros que podem ser realmente obtidas em duas moedas (taxa de swap).
DIFERIDO
Investimentos ou pagamentos efetuados que não apresentam resultado no exercício, mas que irão beneficiar exercícios futuros ou que se espera venham gerar receitas nos próximos exercícios.
DIFRAÇÃO
Propagação da luz pelos contornos de um obstáculo.
DIFUSÃO
Dispersão da luz por partículas, como o azul-celeste de alta freqüência que dá o tom do céu.
DIFUSÃO
Migração dos átomos ou moléculas através de um material pela existência de um gradiente de concentração, o que é favorecido pela energia térmica.
DIGBATS
Sinais extra-alfabéticos para decoração de um projeto gráfico, pela utilização de inicias capitulares.
DIGRESSÃO DO PROBLEMA
A técnica de digressão começa com o problema original e estimula incursões laterais, afastando-se deliberadamente do âmbito do problema.
DIMENSÃO ALINHADA
Dimensão que mede a distancia entre dois pontos e em qualquer ângulo.
DIMENSÃO ANGULAR
Dimensão dos ângulos ou segmento de circulo.
DIN
Deutsche Indiustrie Normen
DIREITO DA AÇÃO Jurídico
Direito que todos os interessados têm de solicitar o pronunciamento da função jurisdicional.
DIREITO DE RETIRADA
Direito de um acionista de se retirar de uma empresa, mediante o reembolso do valor de suas ações, quando for dissidente de deliberação de assembléia que aprovar determinadas matérias definidas na legislação pertinente.
DIREITO DE SUBSCRIÇÃO
Direito de uma acionista de subscrever preferencialmente novas ações de uma sociedade anônima quando do aumento de seu capital.
DIREITO PROCESSUAL Jurídico
Normas jurídicas destinadas a regular o método de composição dos litígios.
DIREITOS DE IMPORTAÇÃO
Pagamento de direitos na entrada das mercadorias no pais. Poderá ser na forma de ad valorem, como um porcentual do valor das mercadorias, ou um valor por unidade de peso e uma combinação entre os dois sistemas.
DIREITOS ESPECIAIS DE SAQUE
Papel monetário internacional criado e distribuído pelo Fundo Monetário Internacional para Governos em quantidades e em épocas ditadas por acordos entre os países membros do FMI.
DIRETRIZES DE PLANEJAMENTO
Diretrizes que deverão ser utilizadas em comum em todos os planejamentos setoriais da empresa.
DIRETRIZES ESTRATÉGICAS
Conjunto de indicações de caráter amplo, que direcionam a atuação da empresa como um todo e orientem ou canalizam os critérios no processo de tomada de decisão para a escolha dos objetivos estratégicos globais.
DISCALCULIA
Dificuldade com problemas e conceitos matemáticos.
DISCERNIMENTO ESTRATÉGICO
É a capacidade de combinar as coisas, sintetizar, relacionar fenômenos retirando do contexto mais do que foi ali alocado.
DISCLOSURE
Divulgação de informação por parte de uma empresa, possibilitando uma tomada de decisão consciente pelo investidor e aumentando sua proteção.
DISCRIMINAÇÃO DE PREÇOS PLENA
Quando se repassa para o cliente um valor superior às economias de despesa e custo obtidas pela empresa.
DISCRIMINAÇÃO DE PREÇOS SIMPLES
Quando se repassa ao cliente um custo ou despesa não incorrido.
DISCRIMINAÇÃO DE PREÇOS UNITÁRIA
Trata-se de uma política de aplicação de preços de produtos tal que cada preço é ajustado às características de cada comprador.
DISGRAFIA
Dificuldade de formar letras e escrever em espaço definido.
DISLEXIA
Dificuldade de leitura e compreensão de palavras e escrita.
DISPERSÃO
Desperdício decorrente de mudanças freqüentes no modo de se fazer às coisas. Perde-se conhecimento e know-how adquiridos ao longo do tempo. A toda hora inicia-se uma nova "curva de aprendizagem", requerendo requalificações. O problema pode se agravar à medida que mudanças tornam-se mais constantes e abrangentes.
DISPÊNDIO
Valores a serem pagos pela empresa, resultados da atividade operacional e que ainda não foram classificados na forma de despesa ou da forma de custo industrial.
DISPLAY
Equipamento de venda utilizado para dispor o produto na loja, para chamar a atenção do usuário e facilitar o acesso as diferentes unidades expostas.
DISPONIBILIDADE
Uma medida da graduação na qual equipamento e ferramental estão em um estado de operação e comprometimento a qualquer momento. Especificamente, a porcentagem de tempo que o equipamento e o ferramental estarão operantes quando necessário.
DISPOSIÇÃO
Ação a ser implementada em uma entidade, devido a alguma situação surgida durante seu ciclo de vida.
DISPOSIÇÃO
Expressão no contexto de um documento normativo, que assume a forma de declaração, instrução, recomendação ou requisito.
DISPOSIÇÃO DE DESEMPENHO
Disposição para a adequação ao propósito que diz respeito ao comportamento de um produto, processo ou serviço em utilização, ou relativo a esta.
DISPOSIÇÃO DE NÃO-CONFORMIDADE
Ação a ser implementada na entidade não-conforme, de modo a resolver a não-conformidade.
DISPOSIÇÃO FINAL
Ação a ser implementada em uma entidade por ocasião do término de sua vida útil.
DISTRESS
Em grego DIS significa mal e compreende aos stresses que promovem a destruição do sistema neurológico.
DISTRIBUIÇÃO
Atividade associada à movimentação de materiais como produtos e partes sobressalentes, deste o fabricante até o cliente final.
DISTRIBUIÇÃO DE PROBABILIDADE
Expressão matemática que indica a freqüência que possa ocorrer, cada um dos resultados possíveis de um experimento.
DISTRIBUIÇÃO EQUITATIVA
Designação dos objetivos e metas de confiabilidade de sistema e subsistemas de maneira que todo o sistema tenha a confiabilidade requerida.
DISTRIBUIÇÃO FÍSICA
Compreende as funções de faturamento, separação de pedidos, transporte e centros de distribuição.
DISTRIBUIÇÃO IRRESTRITA
Significa que os dados do sistema a que se refere podem ser aplicados em mercadorias a ser processado em qualquer ponto do mundo sem restrição quanto a país, empresa, setor, etc.
DISTRIBUIÇÃO RESTRITA
Significa que tais dados de sistema podem ser aplicados em mercadorias a serem processados apenas em determinados ambientes, definidos pela Organização Membro da EAN apropriada, tais como um país, uma empresa, um setor, etc.
DISTRIBUIDORA
Veja Sociedade distribuidora.
DISTRIBUIDORES
Empresas que recebem os produtos paletizados e atendem os pedidos de embalagens de comercialização, entregando aos seus clientes um pouco década produto.
DITHERIZAÇÃO
O mesmo que reticulação, sendo um recurso do software utilizado na redução de cores para simulara a passagem de tom para o qual não tem tantas cores disponíveis, criando pontos intercalados de cores distintas, simulando cores diferentes.
DIVIDENDO
Valor distribuído aos acionistas, em dinheiro, na proporção da quantidade de ações possuídas. Normalmente, é resultado dos lucros obtidos por uma empresa, no exercício corrente ou em exercícios passados.
DIVIDENDO CUMULATIVO
Dividendo que, caso não seja pago em um exercício, se transfere para outro.
DIVIDENDO PRO RATA
Dividendo distribuído às ações emitidas dentro do exercício social proporcionalmente ao tempo transcorrido até o seu encerramento.
DIVISÃO DE NEGÓCIOS
Este tipo de divisão é formado pelo divisionamento operacional, que passa a incorporar a área de desenvolvimento dos produtos e o planejamento da venda, da produção e abastecimento de materiais.
DIVISÃO INTEGRADA
É a divisão formada pelo divisionamento de negócios, com a incorporação das atividades de manufatura, como se fosse uma empresa integrada. A entidade central passa para a ter uma feição de Corporação.
DIVISÃO MERCADOLÓGICA
É formada pelo divisionamento da área de vendas e marketing, deverá ser realizado considerando cada mercado e cada marca que a empresa administra. A divisão não terá qualquer controle sobre a fabricação, sobre a logística e sobre a área financeira.
DIVISÃO OPERACIONAL
É formada pelo divisionamento mercadológico, expandido com a agregação da área da Logística de Distribuição e faturamento dos produtos. A vantagem desta gestão sobre a logística de distribuição é elevar a agilidade com o cliente é atendido.
DÍGITO DE VERIFICAÇÃO
Número do código calculado com um algoritmo que emprega os demais números do código, para detectar erros de varredura.
DÍGITO VERIFICADOR
Dígito calculado a partir dos outros dígitos do dado, usado para verificar se os dados foram compostos corretamente (Consulte Cálculo do dígito verificador padrão).
DMAIC (Define Measure Analyze Improve Control)
Acrônimo dado à metodologia adotada num projeto Six Sigma para se obter melhorias de desempenho significativas nos processos. A metodologia é constituída basicamente de cinco fases ou estágios destinados a 1) Definição e identificação do projeto, 2) Medição da atual situação, 3) Análise das variações do processo, 4) Melhoria do processo e 5) Controle (monitoramento contínuo) do processo.
DMD
Direct Metal Deposition
DNC
Direct Numerical Control
DNC – DIRECT NUMERICAL CONTROL
Comando do equipamento de CNC, diretamente por computadores remotos. Os programas enviados pelo computador são codificados de acordo com a linguagem utilizada no equipamento.
DOBY – DADDY OLDER, BABY YOUNGER
Consumidores que optaram para uma reprodução tardia, caracterizando quase o tipo pai com mentalidade de avô.
DOC
Department of Commerce
DOCAS
Interface entre a expedição, e os transportes com a finalidade de facilitar o carregamento e descarregamento de mercadorias.
DOCK AUDIT
Auditoria Laboratorial do produto pronto para o embarque segundo especificações próprias do cliente.
DOCUMENTAÇÃO
Processo de coletar e organizar documentos ou informações contidas nestes documentos.
DOCUMENTAÇÃO
Uma narrativa que registra a lógica do programa, ou sistema ou padrão.
DOCUMENTO
Informação registrada, escrita ou desenhada, definindo, especificando, relatando ou certificando atividades, requisitos ou resultado relativo à qualidade.
DOCUMENTO
Qualquer meio que contenha informação registrada.
DOCUMENTO NORMATIVO
Documento que estabelece as regras, diretrizes ou características para atividades ou seus resultados, envolvendo normas, especificações técnicas, códigos de práticas e regulamentos.
DOD
Department of Defense
DOE
Department of Energy
DOE - Design of Experiments
Planejamento de Experimentos.
DOMÍNIO
Endereço na Internet que identifica a empresa ou instituição e que fica a direita do sinal @.
DOSSIÊ DE DEFINIÇÃO
Conjunto de documentos formado pelo Relatório Descritivo da Estrutura e pelo Relatório Descritivo do Funcionamento.
DOSSIÊ DE ENSAIOS
Conjunto de documentos formado pela Solicitação de Ensaios, pela Programação de Ensaios e pelo Relatório de Ensaios, conjunto este referente a um dado item e aos que podem ser incorporados nas Normas de Ensaio geradas pelo projeto.
DOT GAIN
Ganho de ponto desde sua gravação num filme negativo de meio tom, até a sua impressão sobre o suporte.
DOT SIZE
Área de pontos.
DOUBLE WALL
A material consisting of three flat facings and two intermediate corrugated members.
DOWNLOAD
Recebimento de um arquivo de outro computador por intermédio de um modem.
DOWNSIZING
Nos anos 80, as grandes empresas cresceram de forma desordenada através da diversificação para novos negócios. Criaram estruturas gigantescas para competir numa era em que a velocidade e a flexibilidade são os dois requisitos-chave. Por isso, nos anos 90 foram forçadas a reestruturar-se, um processo designado downsizing (um termo importado da informática). Aplicado à gestão significa a redução radical do tamanho da empresa, geralmente através do delayering (redução dos níveis hierárquicos) ou da venda de negócios não estratégicos. As empresas ganham flexibilidade e perdem burocracia e ficam mais próximas do mercado e dos clientes.
DPI
Dots per inch.
DPI – DOTS PER INCH
Característica ótica de um aparelho como um scanner e uma impressora, caracterizando o numero a quantidades de pontos físicos que a máquina poderá realizar. Um arquivo com um certo PPI, poderá ser impresso com maior ou menor resolução em DPI, sem alteração do arquivo digital.
DPMO
Defeitos por milhão de oportunidades.
DPS
Digital Picking System.
DQR – REVISÃO DA QUALIDADE DO PROJETO
Processo para se avaliar o processo de desenvolvimento do produto, nos aspetos de atendimento das necessidades dos clientes, comparação com os "Best in Class", habilidade de se atingir metas, robustez, avaliação das coisas certas e erradas.
DRAM
Dynamic RAM
DRIOGRAFIA
É um processo de impressão planográfica indireto, semelhante ao offset, mas sem utilizar água.
DROGA
Substância ou matéria-prima que tenha a finalidade medicamentosa ou sanitária.
DROGANTE
Substância adicionada a um material para modificar alguma propriedade, como a condutividade.
DROP TEST
A mechanical procedure used to test the safety of package contents during shipping; determine the resistance of a filled box to shocks caused by dropping is in certain ways, as corner, edge and face.
DRP
Distribution Requirements Planning
DRP
Distribution Resource Planning.
DRPM DISTRIBUIÇÃO RESPONSIVA
Distribuição ou operação com todas as características de responsividade. O funcionamento da DRPM deverá se revestir de um clima muito favorável ao cliente, operacionalizar um eficiente sistema de informações, planejar e executar um amplo treinamento interno.
DRW – DAILY ROUTINE WORK
Aplicação diária do PDCA em todas as atividades de tipo repetitivo da empresa, a fim de satisfazer as necessidades e as expectativas do cliente (interno ou externo). A essência do DRW é a orientação de todos ao seu cliente. Constitui-se no instrumento gerencial para o melhoramento, a pequenos passos, das atividades que não estão na política anual e manutenção dos serviços de todas as unidades da empresa.
DRY RUN
O ensaio ou ciclo do maquinário, normalmente com intento de não processar a peça de trabalho, para verificar: função, folgas, e estabilidade de construção.
DRY TRAPPING
Situação em que uma impressão repele a tinta seguinte, devido a existir óleos e ceras não-secantes na superfície da impressão anterior. Tal fenômeno é devido à utilização de ceras na formulação, excesso de secantes a base de cobalto, tempo de secagem muito demorado antes na próxima impressão.
DSD – Direct Store Delivery
Mercadorias entregues diretamente às lojas a partir das fábricas, sem passar pelo depósito do distribuidor ou centro de distribuição do fabricante.
DSMC
Defense Systems Management College
DSS
Decision Support Systems
DSS – DECISION-SUPPORT SYSTEMS
É uma extensão da tecnologia de computação com ênfase na estrutura das tarefas e nas características do processamento de informações. O sistema de suporte atende as dificuldades de um novo sistema utilizando banco de dados e modelos matemáticos para ajudar o processo de tomada de decisão. Constitui um sistema interativo que auxilia a tomada de decisão utilizando modelos para resolver problemas pouco usuais.
DTD - DOCK TO DOCK
É o tempo decorrido entre o recebimento da matéria-prima até a expedição dos produtos acabados.
DUCTIBILIDADE
Capacidade do material de se deformar antes de quebrar..
DUMPING
Pratica referente à venda de produtos em mercados externos, com preços inferiores aos custos variáveis da produção.
DUN - DISTRIBUITION UNIT NUMBER
Código de barras onde se acrescenta o dígito que trata da variante logística.
DUOMONT
Na segunda versão, o mesmo pino poderá ser inserido de duas maneiras, facilitando a montagem.
DURABILIDADE
É a probabilidade de que um item irá continuar funcionando nos níveis de expectativa do cliente, em sua vida útil, sem a necessidade de inspeção ou reforma devido ao desgaste.
DURABILIDADE
Habilidade em executar função pretendida durante um período específico sob condições normais de uso e com manutenção especifica, sem deterioração significativa.
DURESA
Propriedade do material de resistir à penetração, associada às características das ligações interatômicas e intermoleculares.
DUTY DRAWBACK
Direitos alfandegários refundidos em mercadorias que serão exportadas.
DVAR
Despesa de vendas variável com a flutuação do montante do faturamento. Incluímos nestas despesas as comissões pagas aos vendedores, despesas de transporte e verba publicitária quando determinada em orçamento como um porcentual da receita.
DVD
Digital Video Disc
DVFIX
Despesas fixas de vendas.
DW
Data Warehousing