Terça-feira, 17 de julho de 2018
Dólar R$ 3,85
Euro R$ 4,51
Tecnologística no LinkedIn
Quinta-feira, 18 de agosto de 2005 - 16h23
Gestão logística

Foi assinado na última quarta-feira, 17 de agosto, um contrato de gestão logística entre o Departamento de Logística da Companhia Vale do Rio Doce, quarta maior mineradora diversificada do mundo, e a Copebrás, empresa do grupo Anglo American, terceira maior mineradora diversificada do mundo. A assinatura do contrato celebrou a parceria, que existe desde março deste ano. O acordo envolve cerca de R$ 100 milhões ao longo de três anos de contrato.

A Copebrás, empresa produtora de matéria-prima para fertilizantes, possui uma mina e uma planta em Catalão (GO), além de outra planta em Cubatão (SP). A necessidade da empresa é transportar com segurança, previsibilidade e preço baixo minério de fosfato da mina em Catalão para a planta de Cubatão; e enxofre de Cubatão para a planta em Catalão. O contrato prevê a movimentação anual, pelo modal ferroviário, de cerca de 540 mil toneladas de rocha fosfática de Catalão para Cubatão, e 160 mil toneladas de enxofre no fluxo inverso.

A gestão dos estoques das plantas também ficará a cargo do Departamento de Logística da Companhia Vale do Rio Doce. "Nós queremos fazer esta gestão logística com eficiência, mantendo o produto sempre disponível onde ele é necessário. Outro ponto importante é mantermos baixo o custo da operação", afirma Mauro Oliveira Dias, diretor do Departamento de Comercialização de Logística da Companhia Vale do Rio Doce. "Essa transferência é o ponto nevrálgico da nossa operação. É necessário manter as plantas abastecidas, com custos previsíveis", afirma Nelson Pereira dos Reis, presidente da Copebrás.

A operação é realizada pela malha ferroviária da FCA (Ferrovia Centro-Atlântica S.A.), atualmente controlada pelo Departamento de Logística da Companhia Vale do Rio Doce. Esta operação já era realizada pela FCA antes da Vale assumir o controle total da malha ferroviária da empresa, mas segundo Reis, só agora existe uma operação confiável. "Nosso setor é focado em fertilizantes. Com a expansão da agricultura no País, nós também temos planos de expansão. O maior gargalo da nossa operação era essa parte logística. Desde que a Vale passou a operar, o serviço melhorou enormemente", afirma o executivo. Só este ano, a Companhia Vale do Rio Doce já investiu R$ 450 milhões na FCA.

Segundo os executivos, o ponto central desta parceria é o intercâmbio constante de informações entre as equipes das duas empresas. "Grande parte da deficiência de um sistema logístico é não ter a informação certa na hora certa. Este intercâmbio e disponibilidade de informações entre as duas equipes é fundamental", afirma Dias. "Esta parceria é um marco. Para nós, a questão logística é vital para podermos pensar projetos com tranqüilidade", comemora Reis.
(Aiuri Rebello)

http://www.cvrd.com.br/cvrd/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?sid=59

www.copebras.com.br

Comentários




Obrigado por comentar!
Erro!