Sexta-feira, 20 de abril de 2018
Dólar R$ 3,41
Euro R$ 4,19
Tecnologística no LinkedIn
Quinta-feira, 20 de julho de 2006 - 16h43
Dez entidades entregarão projeto logístico a Lula e Alckmin

Prioridades do setor serão apresentadas aos candidatos na I Conferência Nacional de Infra-Estrutura Logística

Pela primeira vez, as principais entidades que representam os operadores e usuários de todos os modais de transporte de cargas no Brasil estão unidas para apresentar um projeto comum para os dois principais candidatos à Presidência da República. O documento com as prioridades do setor será entregue na I Conferência Nacional de Infra-Estrutura Logística, que acontece no próximo dia 24 de agosto, no Hotel Transamérica, em São Paulo. O ex-governador paulista Geraldo Alckmin já confirmou presença. Falta o candidato do PT, Luís Inácio Lula da Silva, que também foi convidado, mas ainda não confirmou.

As propostas estão sendo elaboradas pela Associação Nacional do Transporte de Cargas e Logística (NTC & Logística), Associação Nacional dos Usuários do Transporte de Carga (Anut), Associação Nacional de Transportes Ferroviários (ANTF), Associação do Desenvolvimento Multimodal (ADM), Agência de Desenvolvimento Tietê-Paraná (ADTP), Associação Brasileira de Terminais Portuários (ABTP), Frente Nacional dos Permissionários de Recintos Alfandegados – composta pela Associação Brasileira de Terminais e Recintos Alfandegados (ABTRA), Associação Brasileira de Terminais de Contêineres de Uso Público (Abratec) e Associação Nacional das Empresas Permissionárias de Portos Secos (ANPS) – e pelo Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Ciesp). A organização do evento é da Revista Tecnologística.

Cálculos do setor apontam que os custos das empresas com logística representam aproximadamente 12% do PIB brasileiro. Somente o setor rodoviário, que transporta a maioria das cargas no País, fatura o equivalente a 6% do PIB, emprega direta e indiretamente mais de 3,7 milhões de pessoas e responde por 66% do consumo nacional de combustível. No entanto, apenas 10% dos 1,6 milhão de quilômetros de estradas são pavimentados.

A média de idade da frota brasileira de caminhões é de 18 anos. E, embora os veículos de carga representem apenas 5% do parque automobilístico nacional, eles se envolvem em 30% dos acidentes nas rodovias pavimentadas, nos quais morrem 34 mil pessoas por ano – o mesmo que um Boeing lotado a cada 36 horas. Segundo a NTC & Logística, os pedágios representam 30% dos custos do transporte, enquanto que a economia proporcionada por uma estrada bem conservada no processo de escoamento de cargas é de apenas 20%.

Não bastasse este quadro, os tributos consomem 56% do valor agregado pela logística. Isso leva à sonegação e aos passeios de cargas pelo Brasil, na busca pelos benefícios fiscais oferecidos por alguns estados.

Para compensar a ineficiência da infra-estrutura brasileira, nossas empresas precisam, em média, contar com um estoque para 65 dias, enquanto nos Estados Unidos o tempo necessário é de 43 dias. Uma diferença de US$ 118 bilhões em produtos parados em nosso país. Este é um dos principais componentes do chamado “Custo Brasil”.

O setor de transportes necessita de investimentos de pelo menos 2% do PIB nos próximos anos (cerca de R$ 40 bilhões anuais). Mas, desde 1990, os recursos governamentais para esta área ficam abaixo de 0,3% do produto interno, quando o Banco Mundial recomenda uma aplicação mínima de 3,5% deste montante em infra-estrutura para países em desenvolvimento.

Conselho de notáveis

“Esta conferência será uma manifestação antecipada da sociedade neste ano eleitoral, de forma equilibrada e suprapartidária, influenciando a próxima administração para a geração de um projeto estruturado de infra-estrutura logística com visão de longo prazo, sem que sejam deixadas de lado as necessidades de curto e médio alcance”, afirma Robert Caracik Jr., diretor da CRK Logística e presidente do Conselho Consultivo do evento.

Para ele, o encontro dará início a um “processo dinâmico de cobrança de ações integradas” por parte do governo. Além de Caracik, o conselho também é composto por Shirley Simão, diretora da Publicare, que edita a Revista Tecnologística, Élcio Ribeiro, diretor da Arenglo Brasil, Francisco Tabajara de Brito, diretor da LogSolutions, Giuseppe Chiellino, diretor-presidente da TNT Logistics para a América do Sul, Luiz Augusto Ópice, diretor da ADM, Marcos Isaac, diretor da Modus Logística Aplicada, Mário Mendonça, diretor-superintendente do Grupo Luft e Paulo Guedes, diretor-superintendente da Armazéns Gerais Columbia.

O documento que será entregue aos presidenciáveis conta ainda com a colaboração de Alan Lear, diretor técnico da ADM, do almirante José Ribamar Miranda Dias, vice-presidente da Anut, de Carlos Schad, presidente ADTP, de Geraldo Vianna, presidente da NTC & Logística, de João Luiz do Amaral, membro do conselho da mesma entidade, ao lado de Neuto Gonçalves dos Reis, assessor Técnico da NTC; da professora Maria Aparecida de Almeida Santos, coordenadora da pós-graduação em Logística na FAAP, de Ricardo Melchiori, diretor da TNT Logistics, de Rodrigo Vilaça, diretor-executivo da ANTF, de Sonia Rotondo, assessora técnica da NTC & Logística, e de Willem Manteli, presidente da ABTP.

Comentários




Obrigado por comentar!
Erro!