Sábado, 21 de abril de 2018
Dólar R$ 3,41
Euro R$ 4,19
Tecnologística no LinkedIn
Sexta-feira, 1 de dezembro de 2006 - 15h12
CTIL firma acordo com a Localfrio

Operador logístico utilizará terminal de Itajaí da Localfrio a fim de reforçar sua atuação no segmento de produtos frigorificados

A CTIL Logística acaba de firmar uma parceria a fim de utilizar o terminal da Localfrio em Itajaí em suas operações. O acordo tem como objetivo prestar suporte aos clientes da CTIL do Rio Grande do Sul que utilizam a estrutura de transporte rodoviário da companhia para movimentar itens dos mais variados segmentos. O empreendimento está instalado numa área total de 80 mil m2, sendo 12 mil m2 de área construída, disponibiliza sete mil posições-paletes e área de armazenagem para três mil contêineres. Ao todo, são 80 funcionários da Localfrio e quatro da CTIL operando na unidade.

De acordo com diretor da CTIL, Frank Woodhead, o local foi escolhido pelo fato do Porto de Itajaí apresentar inúmeras oportunidades, principalmente na logística de cargas frigorificadas – um dos segmentos em que a empresa pretende atuar com mais força a partir de 2007. Hoje, este setor representa 6% nos negócios da CTIL. “Nossa meta é aumentar este índice para 25%”, revela.

Outros números reforçam a escolha do município. Dados divulgados sobre o Porto de Itajaí apontam que, nos nove primeiros meses de 2006, o superávit foi de R$ 10,6 milhões, dez vezes mais do que todo o saldo acumulado entre 2001 e 2005, quando o índice foi de R$ 1,1 milhão. Até setembro, o Porto movimentou 4,1 milhões de toneladas. A previsão é fechar 2006 com 6,5 milhões de toneladas movimentadas.

Serviço

Além do transporte rodoviário, por meio de seu terminal de Eldorado do Sul (RS) a CTIL possibilita a armazenagem de contêineres procedentes de importação para posteriormente serem exportados. O terminal possui uma área total de 25 mil m2, 70 funcionários e capacidade para armazenar 1.500 contêineres.

Para Woodhead, a utilização do local reduz os custos de frete, pois aumenta a utilização do caminhão carregado, evitando a devolução do contêiner vazio nos terminais de Rio Grande ou Itajaí. “Calculamos que essa operação gere um ganho de 20%”, diz.

O executivo explica, ainda, que essa operação vêm sendo incentivada por armadores, já que permite um giro mais rápido dos contêineres, além de apresentar vantagens nos custos de handling, armazenagem e eventuais reparos.

Case

No mês de novembro, a CTIL concluí também o projeto de logística internacional customizado desenvolvido para a Renner/Inbrape. Iniciado no mês de julho, o projeto previa a transferência de uma fábrica de feltros adquirida na cidade de Augsburg, na Alemanha, para o município de Guaíba (RS). A previsão é de que a fábrica comece a operar em território brasileiro no primeiro semestre de 2007.

A mudança foi realizada em etapas. Primeiro foi realizado um estudo para identificar as melhores opções de transporte, documentações e aspectos alfandegários, tanto na Alemanha quanto no Brasil. Após esta etapa, o maquinário da fábrica, pesando cerca de 496 toneladas, foi desmontado e depositado em contêineres. O transporte, via rodovia, percorreu 601 km de Augsburg até o porto de Bremenhaven, também na Alemanha.

No porto, os contêineres foram embarcados em dois lotes e transportados durante 22 dias até Rio Grande. Atualmente, os contêineres estão armazenados nos terminais da CTIL de Eldorado do Sul e Rio Grande, de onde são enviados, segundo orientações do cliente, para Guaíba.

www.ctil.com.br

www.localfrio.com.br

Comentários




Obrigado por comentar!
Erro!