Terça-feira, 24 de abril de 2018
Dólar R$ 3,45
Euro R$ 4,20
Tecnologística no LinkedIn
Quarta-feira, 15 de agosto de 2007 - 11h30
Novo pátio da CVRD entra em operação

Investimento em Costa Lacerda atenderá principalmente ao transporte de minério de ferro proveniente da mina de Brucutu

Como parte do orçamento total de US$ 200 milhões destinados este ano à Estrada de Ferro Vitória a Minas (EFVM), a Companhia Vale do Rio Doce (CVRD) investiu cerca de R$ 232 milhões na ampliação do pátio ferroviário de Costa Lacerda, da Estrada de Ferro Vitória a Minas (EFVM). Localizado na cidade de Santa Bárbara (MG), o novo pátio entrou em operação no mês de julho e é o segundo maior para formação de trens da América Latina, ficando somente atrás do pátio de Tubarão, também administrado pela CVRD.

As obras de ampliação duraram cerca de dois anos e incluíram a construção de duas áreas, com a separação em dois fluxos: uma exclusiva para trens de minério de ferro e outra destinada a trens de carga diversa, como madeira, combustível, calcário, grãos e produtos siderúrgicos. “Haverá uma redução no transit time em torno de 10%, mas o mais importante é o aumento da capacidade de atendimento com a ampliação do pátio”, afirma Eduardo Bartolomeo, diretor-executivo de Logística da CVRD.

O pátio para trens de minério de ferro possui agora cinco linhas ferroviárias, cada uma com aproximadamente sete quilômetros de extensão. “Esta ampliação permitirá a formação e o desmembramento de trens para transporte de minério com até 320 vagões, enquanto hoje nós trabalhamos com 160 a 240 vagões”, explica Marcelo Barros, diretor da EFVM.

A ampliação ocorreu em virtude do aumento da demanda por transporte da mina de Brucutu, que foi inaugurada em outubro de 2006 e cuja produção é exclusivamente transportada via ferrovia pela EFVM. A mina está localizada no município de São Gonçalo do Rio Abaixo, a 93 quilômetros da capital mineira, e deverá produzir 23 milhões de toneladas de minério de ferro este ano – a produção à plena capacidade, de 30 milhões de toneladas, está prevista para 2008. A obra também favorecerá o escoamento de produção das minas de Gongo Seco, Alegria, Timbopeba e Fábrica, todas em Minas Gerais, até agora responsáveis por mais de 50% do transporte de minério realizado pela ferrovia.

www.cvrd.com.br

 

Comentários




Obrigado por comentar!
Erro!