Quinta-feira, 19 de abril de 2018
Dólar R$ 3,38
Euro R$ 4,18
Tecnologística no LinkedIn
Segunda-feira, 22 de setembro de 2008 - 17h19
TAM Cargo tem novo terminal no Rio de Janeiro

Instalações ocupam uma área de 1.200 metros quadrados, com capacidade para armazenar 60 toneladas por dia

 A TAM Cargo, unidade de cargas da TAM Linhas Aéreas, iniciou, em julho passado a operação de seu novo terminal de cargas domésticas no Aeroporto Tom Jobim (Galeão), no Rio de Janeiro. As instalações ocupam uma área total de 1.200 metros quadrados e têm capacidade para armazenar até 60 toneladas de cargas diariamente – a maioria de produtos eletroeletrônicos e documentos –,  quatro vezes mais do que o antigo terminal.

O vice-presidente Comercial e de Planejamento da TAM, Paulo Castello Branco, afirma que o novo terminal de cargas vai complementar os investimentos promovidos pela TAM no mercado do Rio de Janeiro. “Estamos ampliando a oferta de vôos domésticos e internacionais a partir do Aeroporto Tom Jobim. Por isso, montamos uma estrutura adequada para atender também nossos clientes no segmento de cargas", esclarece. O valor aplicado no terminal e sua participação no segmento de cargas da companhia não foram divulgados – como a companhia é uma empresa de capital aberto tais informações estarão acessíveis no próximo balanço.

O diretor de Cargas da TAM, Carlos Amodeo, explica que a infra-estrutura do novo terminal permite maior agilidade operacional e qualidade no atendimento aos clientes. “Com a ampliação de nossa capacidade de armazenamento de carga doméstica, estamos mais bem preparados para atender ao crescimento da demanda", diz. A movimentação de carga internacional continuará no terminal da Infraero.

Números

A TAM Cargo anuncia que o investimento ao longo de 2008 é de, aproximadamente, R$ 22 milhões em infra-estrutura nos terminais de cargas domésticos em todo o país. Outros R$ 8 milhões serão destinados aos sistemas nacional e internacional para permitir à TAM Cargo ampliar a capacidade de movimentação de cargas e integrar ainda mais as gestões operacional, comercial e financeira. Contudo, a empresa ainda não tem uma definição quando à adoção de cargueiros puros para incrementar o serviço.

A receita bruta, considerando os resultados dos mercados doméstico e internacional, foi de R$ 470,2 milhões, no primeiro semestre de 2008, cerca de 34% maior que os  R$ 352 milhões registrados no mesmo período de 2007. Entre janeiro e junho – ainda não foi consolidado o terceiro trimestre –  a unidade de cargas foi responsável por aproximadamente 9,5% do faturamento total da companhia aérea, com uma receita de R$ 5 bilhões.

O crescimento na receita da TAM Cargo se deve, entre outros fatores à substituição das aeronaves F-100 por aviões da família A-320, de maior capacidade e performance, aumentando, assim, os espaços nos porões.

www.tam.com.br

Comentários




Obrigado por comentar!
Erro!