Quarta-feira, 17 de outubro de 2018
Dólar R$ 3,72
Euro R$ 4,31
Tecnologística no LinkedIn
Quinta-feira, 30 de outubro de 2008 - 9h36
BSH Continental centraliza operações logísticas

Fabricante da linha branca transfere CD de Jundiaí para Hortolândia e concentra unidades fabris

A BSH Continental – empresa que fabrica, entre vários produtos, fogões, refrigeradores, lavadoras e freezers – desde meados de setembro opera um novo centro de distribuição na cidade de Hortolândia (SP). O empreendimento, cujo valor investido não foi revelado, possui 40 mil metros quadrados de área de armazenagem e foi projetado para substituir o antigo CD, instalado no município de Jundiaí (SP) e que contava com uma área de estocagem sete mil metros quadrados menor. 

O gerente de Logística da BSH Continental, Toni Cassaro, explica que a antiga unidade de Jundiaí centralizava todo o estoque de produtos acabados e peças de reposição da marca, desde 2003, quando foi inaugurada, mas já estava pequena para suprir às necessidades da empresa. Sua localização atendia tanto a unidade de refrigeração, em Hortolândia, como a de fogões, em São Paulo.

Cassaro conta que, no ano de 2007, a empresa resolveu centralizar as operações fabris na cidade de Hortolândia e, neste momento, afirma, a companhia se viu obrigada a redimensionar a área de estocagem. “O CD de Jundiaí operava no limite, tínhamos mais de 90% de ocupação. Ou ampliávamos ou mudávamos de local”, diz. Vale lembrar que a empresa não divulga os números em volume. Segundo o gerente, a troca de cidade do seu terminal foi definida após a decisão de concentrar a produção numa só planta. “Criamos um conceito de parque industrial, já que nossas unidades fabris estão aqui em Hortolândia. O novo CD está dimensionado para suportar nosso crescimento para os próximos cinco anos”, salienta. O local iniciou as operações com 80% de sua capacidade ocupada.

O executivo não revela o volume em números, mas divulga a configuração do centro de distribuição de Hortolândia. “São 34 docas, quatro delas destinadas exclusivamente para transferência – inbound –, quatro docas exclusivas para a movimentação de peças de reposição – inbound e outbound – e o restante das docas destinadas à operação de outbound de produtos acabados”, explica. Ao todo, 58 funcionários são responsáveis pela logística da BSH.

Diferenciais

O executivo comemora a mudança e ressalta os benefícios da decisão. Segundo ele, a transferência das operações para um novo local resultou na melhoria de processos e no aumento da produtividade –  índices ainda não mensurados. Entre as melhorias, Cassaro destaca a, agora, eficiente movimentação interna do centro de distribuição. Para isso, a companhia também investiu no desenvolvimento de veículos especiais. “Apesar das curtas distâncias percorridas, temos cavalos-mecânicos e carretas com tamanhos e dimensões específicas para o transporte dos itens que fabricamos”, resume.

As carretas merecem destaque. São seis unidades, com um eixo, tipo furgão industrial de alumínio, desenvolvidas pela Rodofort. Entre os diferenciais do implemento estão o piso e a estrutura reforçados que suportam a movimentação interna com empilhadeiras e clamps. Estes equipamentos têm 15,5 metros de comprimento e capacidade para 145 metros cúbicos. As duas unidades de veículos Volkswagen, modelo Constellation 13.180, também são peculiares, pois foram transformadas em cavalos-mecânicos. Para a compra dos implementos e caminhões, além das adaptações, a empresa investiu R$ 780 mil.

www.bshcontinental.com.br


 

Comentários




Obrigado por comentar!
Erro!