Domingo, 22 de abril de 2018
Dólar R$ 3,41
Euro R$ 4,19
Tecnologística no LinkedIn
Sexta-feira, 7 de janeiro de 2011 - 14h16
Grupo EBX recebe aprovação para construção de porto no Chile

Empreendimento na região do Atacama terá investimentos de cerca de US$ 300 milhões

O Grupo EBX, holding 100% brasileira que atua nos setores de infraestrutura e recursos naturais, anunciou a aprovação da Comisión Regional de Medio Ambiente (Corema) para a construção de um novo porto localizado na região do Atacama, no Chile.

O projeto, pertencente à OMX Operaciones Marítimas, consiste na construção e operação de um porto privado de uso público com três berços independentes, que permitirão anualmente o embarque e desembarque de seis milhões de toneladas de carvão e dez milhões de toneladas de minério de ferro, entre outros produtos.

Com calado natural de 25 metros, o Porto contará também com pátios para armazenamento de cinzas, carvão e minério de ferro, armazéns para concentrado de cobre e grãos, além de um sistema de correias cobertas.

A MPX Energia e a MMX Mineração e Metálicos, empresas do Grupo EBX que atuam na região, comemoram a aprovação do projeto. "A implantação do Porto garantirá custos logísticos competitivos e suprimento eficiente de carvão para a termelétrica Castilla, importante plataforma de crescimento para a MPX no país", diz Eduardo Karrer, presidente da empresa. A central térmica Castilla, localizada na zona costeira de Punta Cachos, é um dos maiores projetos em licenciamento atualmente no Chile.

Para Roger Downey, presidente da MMX Mineração e Metálicos, a logística é o componente chave de qualquer sistema de minério de ferro. “A licença do Porto é uma conquista importante no desenvolvimento dos nossos dez milhões de toneladas por ano no Chile, que será, portanto, um dos mais competitivos incrementos de oferta no mercado transoceânico”, projeta o executivo.

A previsão é que a construção do Porto leve aproximadamente dois anos e meio e tenha um custo total de cerca de US$ 300 milhões.

www.ebx.com.br

Comentários




Obrigado por comentar!
Erro!