Terça-feira, 23 de outubro de 2018
Dólar R$ 3,68
Euro R$ 4,23
Tecnologística no LinkedIn
Terça-feira, 24 de abril de 2012 - 11h24
ALL apresenta números referentes a 2011
Companhia fez avaliação de suas operações ferroviárias e confrontou investimentos com geração operacional de caixa

A ALL, América Latina Logística , operadora logística com base ferroviária, apresentou, durante a 18ª edição da Intermodal South América, seu balanço anual referente a 2011. A companhia registrou um ano positivo nos resultados, atingindo receita de R$ 3,7 bilhões, com geração operacional de caixa de R$ 1,5 bilhão e lucro líquido de R$ 245 milhões.

No transporte ferroviário, o volume em operações aumentou 8,2% com bom desempenho operacional e forte ganho na produtividade dos ativos. Além disso, a participação de mercado da ALL cresceu significativamente, especialmente no segmento agrícola.

Em 2011, o investimento ferroviário da companhia foi de R$ 872 milhões, sendo R$ 216 milhões na construção da ferrovia até Rondonópolis (MT). Já no segmento industrial, a empresa fechou um contrato de longo prazo com a Eldorado, do setor de papel e celulose, que representa sozinho um crescimento de 7% no volume total e que deverá tornar-se operacional ao final de 2012.

“O ano foi marcado por importantes realizações que reforçam os fundamentos de longo prazo do nosso negócio Ferroviário e pela consolidação da nossa estratégia de criar novos negócios a partir da nossa infraestrutura ferroviária”, afirma Paulo Basílio, presidente da ALL.

Projetos

Os projetos estratégicos avançaram. A Brado Logística, subsidiária da ALL, prestadora de serviços de logística intermodal de contêineres, iniciou suas operações no segundo trimestre. No terceiro trimestre, a ALL criou a Ritmo Logística, empresa 100% voltada para o negócio rodoviário e que, além de soluções dedicadas, pretende ampliar a participação no segmento de serviços de ponta rodoviária no entorno da ferrovia.

Em dezembro, a ALL anunciou a criação da Vétria Mineração, empresa que terá um sistema integrado com mina própria em Corumbá (MS), logística ferroviária por meio de contrato operacional de longo prazo com a ALL e terminal portuário privado em Santos.

Operações ferroviárias

O volume transportado pela companhia cresceu cerca de 7,7% em 2011, atingindo a marca de 46,880 bilhões de TKU. A geração operacional de caixa cresceu 9,6%, de R$ 1,3 bilhão em 2010 para R$ 1, 425 bilhão em 2011. No 4º trimestre, o volume da ALL cresceu 7,6% e a receita bruta atingiu R$ 724,9 milhões, 10,5% maior que o ano anterior, enquanto a geração operacional de caixa aumentou 10,9%, para R$ 258,3 milhões.

A Brado Logística registrou R$ 9 milhões de caixa, o que representa um aumento de 28,9% quando comparado ao mesmo período de 2010. Desde sua criação em abril, a empresa acumula um crescimento na geração de caixa de 44,0%, atingindo R$ 29,9 milhões. Adicionalmente, o plano de investimentos da Brado está de acordo com o cronograma, com o recebimento integral da frota de 145 vagões spinning e duas locomotivas.

Já a Ritmo, que opera no segmento de soluções dedicadas de transporte, pretende ampliar sua participação no segmento de serviços de ponta rodoviária no entorno da ferrovia. No 4º trimestre, a geração operacional de caixa da Ritmo cresceu 3,3%, representando R$ 6,7 milhões. Desde julho de 2011, quando a empresa foi criada, a geração de caixa já somou R$ 14,4 milhões.

Perspectivas para 2012

A ALL pretende investir R$ 650 milhões neste ano para viabilizar seu crescimento em negócios ferroviários, e cerca de R$ 150 milhões para finalizar as obras do projeto Rondonópolis.

“Continuaremos crescendo o volume em nosso negócio ferroviário em 2012 por meio de ganhos de produtividade dos nossos ativos. Além disso, a expectativa é chegar em Rondonópolis até o fim do ano, encerrando assim a construção da nova ferrovia, que deverá custar R$ 700 milhões no total”, explica Basílio.

Comentários




Obrigado por comentar!
Erro!