Sábado, 20 de outubro de 2018
Dólar R$ 3,71
Euro R$ 4,28
Tecnologística no LinkedIn
Quinta-feira, 31 de maio de 2012 - 12h19
Brado Logística fecha contratos para transporte intermodal na região Sul
Tramontina e Dambroz, na Serra Gaúcha e Mercur, em Santa Cruz do Sul, são os novos clientes da provedora logística

A Brado Logística, subsidiária da América Latina Logística (ALL), informa que, no último mês de abril, fechou novos negócios com clientes na região Sul a fim de introduzir a ferrovia como opção sustentável, segura e rentável para o transporte de cargas do Rio Grande do Sul. A iniciativa tem como objetivo, ainda, acabar com os entraves logísticos na região e reduzir o custo da cadeia, além de aumentar a competitividade local. Tramontina e Dambroz, na Serra Gaúcha e Mercur, em Santa Cruz do Sul, são os clientes que passam a utilizar o modal em suas operações.

O trabalho da provedora logística será realizar a movimentação intermodal de mercadorias para exportação. Na primeira etapa, as cargas serão transportadas das fábricas até o Terminal Intermodal Rodoferroviário de Esteio pelo modal rodoviário. No local, serão transbordadas, seguindo, posteriormente, pela malha ferroviária para embarque no Porto do Rio Grande.

O superintendente da Brado Rio Grande do Sul, Silvio Fernandes, acredita que o potencial do mercado regional é importante para uma atuação intensa e aposta nas empresas locais. “Estamos desenvolvendo parcerias na região para viabilizar o transporte, oferecendo vantagens logísticas com a integração dos modais”, explica.

No Sul, a Brado opera, além de Esteio, os Terminais Intermodais Rodoferroviários de Porto Alegre, Triunfo, Cruz Alta e Rio Grande (Tecon). Além disso, possui um armazém frigorificado em Esteio, com capacidade para 25 mil toneladas, e armazéns secos em Porto Alegre, utilizados para os serviços de importação, exportação e mercado interno. De acordo com informações da empresa, a atuação na região gaúcha é importante para viabilizar o transporte de cargas pela ferrovia, podendo reduzir os custos em até 6%.

Comentários




Obrigado por comentar!
Erro!