Segunda-feira, 16 de julho de 2018
Dólar R$ 3,86
Euro R$ 4,52
Tecnologística no LinkedIn
Sexta-feira, 14 de dezembro de 2012 - 13h54
Oi e Descarte Certo anunciam construção de cinco fábricas para reciclagem
Empresas celebram acordo para instalação de unidades nas cinco regiões do Brasil até 2014

A operadora de telefonia Oi e a Descarte Certo, empresa do Grupo Ambipar que atua com logística e manufatura reversa, anunciaram, em coletiva de imprensa realizada no dia 11 de dezembro, um acordo que prevê a construção de cinco fábricas de processamento e reciclagem de produtos eletroeletrônicos espalhadas pelas cinco regiões do Brasil. O evento contou com a participação de autoridades dos ministérios do Meio Ambiente e da Indústria e Comércio, do Governo e da Secretaria do Meio Ambiente do Estado de São Paulo e da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), entre outros.

As unidades devem apresentar um custo total de R$ 10 milhões. A previsão é que as fábricas, localizadas no Rio Grande do Sul, Pernambuco, Amazonas, Goiás e Rio de Janeiro, estejam prontas até 2014. A Oi arcará com a construção das estruturas e a Descarte Certo será responsável por todo o serviço de coleta, manufatura reversa e destinação de resíduos de materiais como celulares, computadores, carregadores, baterias e fios de cobre. Parte dos itens poderá ser reutilizada, enquanto o restante passará por um processamento para que materiais possam ser reaproveitados como matéria-prima.

O objetivo da Oi é atender à Lei 12.305, que institui a Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS) e estipula regras de gerenciamento de resíduos. O cumprimento das regras previstas na lei passa a ser obrigatório a partir do segundo semestre de 2013. A Oi já realiza o gerenciamento do material descartado junto aos seus prestadores de serviços utilizando empresas de reciclagem. Em 2011, foram encaminhadas mais de 3.300 toneladas de material para reciclagem, como cobre, alumínio e ferro, cabos de fibra ótica, baterias, cabos telefônicos, sucatas de informática, fibra de vidro, partes de peças de telefones públicos vandalizados, sucatas de mobiliário, entre outros.

“Mais do que uma aliança estratégica entre duas empresas, trata-se de um marco para o início e estruturação de um mercado que praticamente ainda não existe no Brasil”, comenta o presidente da Descarte Certo, Lucio di Domenico. Segundo ele, parte do investimento será aplicada também para duplicar a capacidade de processamento da fábrica da empresa localizada na cidade de Americana (SP). Atualmente, a unidade apresenta capacidade para processar 300 toneladas ao mês.

Com a conclusão da construção das fábricas, a Descarte Certo passará a contar com uma capacidade de processamento de 1,2 mil toneladas mensais. As novas unidades devem gerar cerca de 5 mil empregos diretos e indiretos nas regiões em que serão instaladas.

Comentários




Obrigado por comentar!
Erro!
JOSE AIRTON DA SILVAem 25/08/2016, às 20h40
Boa noite gostaria de saber como faço pata montar em parceria com a oi e a Descarte Certo a construção de uma fabrica de descarte certo.