Terça-feira, 23 de janeiro de 2018
Dólar R$ 3,20
Euro R$ 3,92
Tecnologística no LinkedIn
Quinta-feira, 20 de dezembro de 2012 - 9h47
LLX e V&M assinam contrato para base logística no Açu
Estrutura servirá, principalmente, a empresas do setor petroleiro para a armazenagem de tubos

Ontem, 19 de dezembro, a LLX, braço logístico do Grupo EBX, divulgou a assinatura de um contrato com a V&M do Brasil para a instalação de uma base logística no Superporto do Açu. A unidade, que estará localizada no Polo Metalmecânico, terá 150 mil m² de área e será destinada ao atendimento das companhias de petróleo que atuam na Bacia de Campos, por meio da armazenagem e fornecimento just in time de tubos e serviços especializados.

O contrato terá 20 anos de duração, podendo ser renovado por mais 20 anos. A implantação da estrutura acontecerá a partir da instalação de uma base de apoio offshore no canal do TX2. “A assinatura de mais um contrato para instalação de unidade industrial no Polo Metalmecânico confirma a condição de excelência oferecida pelo Superporto do Açu para as empresas fornecedoras de bens e serviços para a indústria de petróleo & gás e energia”, comenta o diretor presidente e de relações com investidores da LLX, Marcus Berto.

Para o executivo, a localização estratégica na região sudeste, com acesso às principais ferrovias e rodovias, fazem com que o Superporto do Açu seja um centro de convergência, representando um diferencial para as empresas que decidirem se instalar lá.

“A base logística será muito importante para otimizar o atendimento aos nossos clientes com tubos OCTG (oil country tubular goods) para exploração e produção de petróleo”, explica o diretor geral da V&M do Brasil, Alexandre Lyra. Segundo ele, a nova base permitirá ampliar o fornecimento de serviços e soluções aos seus clientes, incluindo a OGX.

A V&M do Brasil faz parte do Grupo Internacional Vallourec, especializado em soluções tubulares. Sua expertise estende-se, ainda, ao setor industrial, como mecânico, automotivo e construção. Com 22.200 funcionários, a empresa registrou 5,3 bilhões de euros em vendas em 2011.

Comentários




Obrigado por comentar!
Erro!