Sexta-feira, 20 de abril de 2018
Dólar R$ 3,41
Euro R$ 4,19
Tecnologística no LinkedIn
Terça-feira, 8 de outubro de 2013 - 17h22
Wilson Sons inaugura câmara fria para a GE
Com investimentos de mais de R$ 1 milhão, espaço será destinado à armazenagem de equipamentos hospitalares

A Wilson Sons inaugurou, em junho, uma câmara fria de 800 m² no Centro Logístico São Paulo, localizado em Itapevi, na região metropolitana do estado. Ao todo, foram investidos mais de R$ 1 milhão na novidade, destinada às operações da General Electric (GE) Healthcare.

Com temperatura controlada entre 15º e 25º, o espaço conta com monitoramento remoto e é auditado por uma farmacêutica responsável, atendendo às exigências da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). Entre os clientes da GE que serão atendidos no novo espaço estão os hospitais Sírio Libanês, Albert Einstein, São Luiz, Dasa e Hospital das Clínicas.

A expectativa é que sejam movimentados, em média, 1.700 volumes todos os meses, entre equipamentos de ultrassom, raios-x, tomografia computadorizada, mamografia e destinados a diagnósticos de imagens em geral. O número representa cerca de 10% da capacidade total do Centro Logístico São Paulo.

A câmara possui ainda pisos e paredes com superfícies laváveis, layout que evita a contaminação dos diferentes produtos armazenados e fluxo diferenciado, que garante espaços totalmente segregados, além de áreas específicas destinadas a recebimento, expedição, quarentena, inspeção e descontaminação.

De acordo com a diretora Comercial da Wilson Sons Logística, Miriam Korn, a inauguração representa um salto nas operações com a GE, que já acontecem há sete anos. “O projeto foi desenhado a quatro mãos para dar suporte ao crescimento da multinacional nos próximos anos e tornar-se referência para esse tipo de operação”, afirma a executiva.

A unidade recebeu a visita de representantes globais da GE para o programa interno Global Star, que atesta as condições de saúde, segurança e proteção do meio ambiente em todas as instalações onde a empresa opera. Miriam explica que as operações na câmara fria demandam cuidados especiais, pois trata-se de produtos de alta tecnologia com um rigoroso controle de qualidade e gerenciamento de inventário.

Além disso, devido ao ciclo contínuo de movimentação dos itens armazenados, é necessário que a operação apresente alta disponibilidade. “Para atender a essas demandas, a Wilson Sons Logística montou uma equipe dedicada à GE, formada por nove colaboradores que recebem treinamentos de reciclagem e auditorias de qualidade mensais”, finaliza a diretora.

Comentários




Obrigado por comentar!
Erro!