Terça-feira, 23 de janeiro de 2018
Dólar R$ 3,20
Euro R$ 3,92
Tecnologística no LinkedIn
Sexta-feira, 7 de março de 2014 - 12h41
Área Livre assume logística da Havells Sylvania
Operador passa a ser responsável pela gestão dos produtos da companhia, que buscou um novo prestador de serviços logísticos para acompanhar o crescimento das operações

A Área Livre, sediada no município paulista de Cotia, é o novo operador logístico da Havells Sylvania, companhia pertencente à Havells India que atua com soluções completas em iluminação profissional e arquitetônica.

Área-Livre-e-Havells-Sylvania-Sergio-FernandesDe acordo com Sérgio Fernandes, diretor geral da Área Livre, as atividades englobam toda a gestão do estoque de produtos do cliente, desde a descarga de contêineres até a expedição, passando por operações de armazenagem, picking, conferência e carregamento.

A operação ocupa, no total, 8 mil m² verticalizados nos centros de distribuição Embu I e Embu II da Área Livre, em São Paulo. “São cerca de seis mil posições-palete com produtos de valor agregado muito alto”, diz Fernandes. O executivo destaca que o segundo CD, de 4 mil m², foi inaugurado em novembro passado justamente para suportar a demanda das operações da Havells Sylvania, que conta com aproximadamente 350 SKUs. O CD Embu I possui área total de 10 mil m².

Área-Livre-e-Havells-Sylvania-Edson-AmadeuA distribuição dos produtos, que abrange todo o território nacional, é realizada por meio de frota terceirizada. “Trabalhamos com oito empresas com focos bem regionais”, explica o diretor de Operações de Supply Chain da Havells Sylvania, Edson Amadeu. Todos os meses são expedidos, nos CDs da Área Livre, mais de 100 mil volumes referentes à operação.

Apesar de a celebração do contrato entre as empresas ter acontecido em setembro do ano passado, Sérgio Fernandes ressalta que somente nestes primeiros meses de 2014 foi possível considerar que a operação estava de fato consolidada, com a finalização da curva de aprendizagem.

“As conversas tiveram início em agosto de 2012, com uma visita da equipe da Sylvania ao Embu I”, conta. Segundo ele, na ocasião foram discutidos os principais requisitos a respeito da operação. A partir desses dados, a Área Livre elaborou uma proposta e participou de uma concorrência. “Saímos vencedores e, de março a julho de 2013, realizamos diversas reuniões para analisar todas as particularidades”, lembra.

A Havells Sylvania decidiu buscar um novo operador logístico para apoiar o crescimento registrado pela companhia em 2013, cujos valores não foram revelados. “Além de uma remodelação geral no contrato que tínhamos com o antigo operador, precisávamos de uma melhoria no alinhamento estratégico e na comunicação entre as duas empresas”, esclarece Amadeu.

Segundo ele, a expectativa com o novo contrato era elevar os níveis de serviço logístico e contar com capacidades maiores de expedição e controle de inventário. “Além disso, também temos a expectativa de que, por meio do forte controle de custos, poderemos obter maiores benefícios dentro da operação”, indica.

Diferenciais

Amadeu destaca que, além do menor custo, o alinhamento estratégico entre ambas as empresas foi essencial para que a Área Livre fosse o operador logístico escolhido na concorrência. Para ele, a maneira como a Havells Sylvania via a operação e a forma como o operador logístico entendeu o que deveria ser feito consistiu em um grande diferencial.

“Além disso, a forte interação entre todos os níveis da empresa no empenho para promover um diálogo aberto e a flexibilidade em rever parâmetros operacionais nos levou à escolha”, diz. “Também temos que citar o mix de experiências na organização, com pessoas com forte bagagem teórica, além de experiência prática. Isso é fundamental para que a operação tenha um desenvolvimento contínuo”, analisa o executivo.

Como exemplo desses profissionais da Área Livre, Fernandes destaca o gestor das unidades Embu I e Embu II, Osmar Fogaça, que trabalhou durante vinte anos no segmento de lâmpadas, luminárias e sistemas de iluminação. “Ele é o responsável pela operação da Havells Sylvania. Tivemos o cuidado de inserir, em todo o processo, desde a negociação até a elaboração do projeto, um profissional que entendesse do referido segmento”, aponta.

Para Amadeu, a presença de uma pessoa experiente proporcionou garantias adicionais tanto ao processo de fechamento de contrato quanto à implementação do projeto e às operações. “Isso é fundamental para trazer a tranquilidade necessária ao processo. Tanto que, em apenas três meses de operação, já estamos dentro do nível de serviço esperado”, completa.

E esse é um dos grandes diferenciais da Área Livre, de acordo com Fernandes. “Enquanto as outras empresas têm colaboradores somente da área de projeto para elaborar a operação, nós envolvemos nessa etapa também o pessoal que realmente atua na operação”, explica.

Atendendo a clientes dos segmentos automotivo, eletroeletrônico, alimentício e de móveis para escritórios – além de iluminação –, a Área Livre encerrou o acumulado de 2013 com um alto crescimento em seu faturamento bruto na comparação com o ano anterior. Os números superaram as expectativas do operador, que tinha meta ousada para o ano. Os valores monetários não foram revelados.

Comentários




Obrigado por comentar!
Erro!