Terça-feira, 23 de outubro de 2018
Dólar R$ 3,68
Euro R$ 4,23
Tecnologística no LinkedIn
Quinta-feira, 13 de março de 2014 - 12h51
Grupos de trabalho em Paranaguá discutem integração entre porto e cidade
Limpeza das vias de acesso e dificuldades no trânsito são os temas abordados

A Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina (Appa), a Prefeitura Municipal de Paranaguá, a Câmara de Vereadores e toda a comunidade portuária estão se mobilizando em grupos de trabalho especializados para tentar resolver os problemas de sujeira nas vias de acesso ao Porto de Paranaguá (PR).

Além disso, a iniciativa também visa solucionar os problemas de trânsito dentro e na saída da cidade, causados pelo acúmulo de caminhões. “A integração entre o porto e a cidade é um desafio em todas as cidades portuárias do mundo. Nós, como autoridades, temos obrigação de tentar encontrar um equilíbrio para que a cidade consiga conviver bem com o porto, já que é primordial para o desenvolvimento de toda a região”, avalia o superintendente da Appa, Luiz Henrique Dividino.

Na primeira rodada de debates, realizada na última terça-feira, dia 11 de março, os grupos discutiram a respeito da limpeza das vias urbanas, das filas de saída da cidade e das filas de caminhão nas proximidades do Terminal de Contêineres de Paranaguá (TCP). O grupo que trata da limpeza aprovou a criação de uma comissão conjunta, com autoridades e órgãos fiscalizadores, para fazer uma vistoria em todos os terminais e armazéns instalados em Paranaguá. Aqueles que não tiverem condições de recebimento de mercadorias serão descredenciados do porto.

O grupo de trabalho que trata das filas nas imediações do terminal de contêineres estabeleceu o aumento de efetivo de pessoal no atendimento do posto avançado, com o objetivo de agilizar a liberação das carretas. Também será estudada pelo TCP a possibilidade de estabelecer um novo local para o posto, visando melhorar o fluxo.

Por fim, o grupo que discutiu soluções para as dificuldades de tráfego na saída da cidade sugeriu a criação de uma central de fretes. Hoje, os caminhões ficam acumulados nas proximidades dos postos de gasolina na saída da cidade, para a negociação do frete de retorno. Com a criação de uma central, os veículos ficariam reunidos em outro local, desafogando a saída.

Além da Appa, da Prefeitura e da Câmara dos Vereadores, os grupos de trabalho contam com a participação da Polícia Militar (PM), Polícia Rodoviária Federal (PRF), Instituto Ambiental do Paraná (IAP), Ministério Público Estadual (MP), operadores portuários, Ecovia, Sindicato da Indústria de Adubos e Corretivos Agrícolas no Estado do Paraná (Sindiadubos), Federação das Empresas de Transporte de Cargas do Estado do Paraná (Fetranspar) e do Sindicato das Empresas de Transportes de Cargas no Estado do Paraná (Setcepar).

Comentários




Obrigado por comentar!
Erro!