Quarta-feira, 24 de setembro de 2014 - 11h20
Modern entra para o mercado logístico brasileiro
Nova empresa oferece a seus clientes as vantagens da integração entre os transportes rodoviário e aéreo

A Modern Logistics anunciou ontem, dia 23 de setembro, sua entrada no mercado brasileiro. O novo operador logístico oferecerá serviços integrados que incluem armazenagem, picking, packing e transporte rodoviário e aéreo, com frota própria de aeronaves.

O aporte para o início das atividades da empresa, que deve acontecer em aproximadamente dois meses, deve chegar a R$ 75 milhões, provindos de investidores locais e estrangeiros. A quantia é destinada à contratação de mão de obra, leasing de aeronaves e armazéns, aquisição de equipamentos e também como capital de giro.

Para começar a atuar, a Modern contará com duas aeronaves cargueiras Boeing 737-400F, que ligarão centros logísticos localizados nos maiores polos industriais de todo o Brasil. A empresa possui ainda dois centros de distribuição próprios em fase de implantação, de 5 mil e 10 mil m², localizados em Manaus e em Jundiaí (SP), onde a empresa está sediada.

Tanto as estruturas quanto a frota devem aumentar de acordo com as demandas do mercado, e a previsão é de que a Modern passe a contar, em um prazo de cinco anos, com 15 armazéns e até 40 aeronaves, entre jatos Boeings e turboélice ATRs. Com estas aeronaves de menor porte, a empresa pretende atingir localidades menores, que hoje são atendidas apenas por caminhões.

O foco da empresa é a criação de soluções logísticas completas para clientes industriais com necessidades de armazenagem e distribuição de produtos de alto valor, como eletroeletrônicos, farmacêuticos, cosméticos e autopeças. O objetivo é otimizar a operação de transporte a partir do planejamento de todas as etapas da cadeia para reduzir o tempo de trânsito e os custos.

A Modern é liderada por Gerald Blake Lee, executivo com experiência no segmento aéreo que já atuou na companhia norte-americana JetBlue Airways e foi um dos fundadores da Azul Linhas Aéreas, de onde veio grande parte da equipe do novo operador, que conta também com executivos com experiência no ramo de logística.

“Vamos oferecer um serviço único no país”, afirma Lee, explicando que a Modern atuará na modalidade one stop shop, termo que sugere que o cliente precisa de apenas uma empresa para encontrar uma solução logística completa. “Conseguiremos reduzir significativamente os prazos de entregas por usarmos o modal aéreo. E também minimizaremos os riscos de segurança, evitando o extravio, a exposição dos produtos e custos atrelados ao seu manuseio”.

Um dos investidores da Modern é a DXA Investments. “Enxergamos os desafios de infraestrutura de transporte no Brasil como uma oportunidade de mercado”, diz Oscar Decotelli, sócio da gestora de recursos. “Sabemos que, para a economia brasileira crescer, será preciso ultrapassar esse gargalo logístico. E vemos que a Modern poderá se destacar e crescer em seu segmento, uma vez que conta com uma proposta inovadora. A plataforma integrada permitirá a seus clientes minimizar as ineficiências existentes, com redução significativa dos custos”, completa.