Quarta-feira, 24 de janeiro de 2018
Dólar R$ 3,23
Euro R$ 3,98
Tecnologística no LinkedIn
Terça-feira, 30 de setembro de 2014 - 11h05
Cadeia de fornecedores do setor aéreo cria a Abraset
Associação reúne pessoas e empresas que prestam serviços e proveem equipamentos para o segmento

Foi fundada, neste mês de setembro, a Associação Brasileira de Fornecedores de Serviços, Equipamentos e Tecnologia para Aeroportos (Abraset), entidade que tem como objetivo primordial promover a segurança, a qualidade e a tecnologia como parâmetros prioritários para o segmento aéreo no Brasil.

Organizada por empresas do setor, a associação é presidida por Jorge Eduardo Leal Medeiros, engenheiro aeronáutico e professor da Universidade de São Paulo (USP). Para ele, o momento é ideal para o nascimento da Abraset, pois o setor aéreo e a cadeia de fornecedores de equipamentos e serviços estão extremamente competitivos devido ao aumento da demanda, que triplicou na última década. O executivo explica que esse crescimento gerou a necessidade de investimentos nos aeroportos brasileiros, incluindo terminais que permitirão aumentar a capilaridade do transporte aéreo de forma a ampliar o número de cidades atendidas pelo modal.

Segundo Carlos Augusto Roma, diretor da empresa de equipamentos Rucker e diretor de Comunicação da Abraset, a associação foi criada acompanhando a intensa modernização da aviação brasileira. “Dessa maneira, pode-se trabalhar junto a gestões privadas e junto ao governo para que se obtenham produtos e serviços de classe mundial, e que sejam realmente pensados para uso no país, para que se aumente a segurança das operações, a disponibilidade e a produtividades dos aeroportos em geral, com o menor custo de operação possível”, diz.

Na visão de Andrea Della Bianca, diretor executivo da Cavotec e presidente do Conselho de Administração da Abraset, a fundação da associação marca um importante evento para a cadeia de fornecedores dos aeroportos, já que permite um intercâmbio de ideias entre empresas que, sem a existência da entidade – que permite a associação tanto de pessoas jurídicas quanto físicas –, não teriam a possibilidade de se relacionar de forma direta em um ambiente livre de interesses comerciais.

Comentários




Obrigado por comentar!
Erro!