Quinta-feira, 18 de outubro de 2018
Dólar R$ 3,68
Euro R$ 4,24
Tecnologística no LinkedIn
Quinta-feira, 6 de novembro de 2014 - 13h44
Pacto pela Infraestrutura e Eficiência Logística entregará documento ao governo
Síntese do Painel 2014 apresenta demandas para promover melhorias na logística nacional

Na próxima segunda-feira, dia 10 de novembro, o Palácio do Planalto, em Brasília, será palco de uma audiência entre o ministro das Relações Institucionais, Ricardo Berzoini, e os integrantes do Pacto pela Infraestrutura e Eficiência Logística para a entrega de um documento contendo discussões e proposições a respeito do tema.

O pacto consiste em um fórum de debates que conta com a participação de especialistas, empresários e órgãos reguladores da logística no país. O objetivo é debater e apresentar possíveis intervenções para a melhoria do setor, contribuindo para fortalecer a competitividade e a inserção do Brasil no cenário econômico internacional.

O documento foi gerado no Painel 2014 do Pacto pela Infraestrutura Nacional e Eficiência Logística, que aconteceu nos dias 2 e 3 de setembro, na sede da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), em Brasília, promovido pelo Instituto Besc.

Dentre os temas discutidos durante o evento estão planejamento urbano, conflitos dos processos de gestão da logística, melhoria da gestão portuária, questões indígenas no licenciamento ambiental de rodovias, obstáculos à operação multimodal, isenção de ICMS sobre o frete nas exportações e participação de investidores estrangeiros e do mercado de capitais.

“Nosso objetivo é contribuir com a formulação das políticas públicas para a infraestrutura nacional que irão possibilitar que o Brasil realize seu potencial de crescimento econômico e desenvolvimento social por meio do aperfeiçoamento da eficiência na logística”, declara a presidente do Instituto Besc e coordenadora-geral do Painel, Jussara Ribeiro.

“Despolitizar, racionalizar, planejar, priorizar, objetivar e executar. Esse é o ciclo que deveria se transformar em dogma inquebrantável na gestão pública dos governos. Não é preciso reinventar a roda, basta um governo atuante, com competências definidas e vontade de realizar para que o setor avance o quanto deve”, resume Cesar Meireles, diretor executivo da Associação Brasileira de Operadores Logísticos (ABOL) e participante do evento.

Comentários




Obrigado por comentar!
Erro!