Quarta-feira, 24 de janeiro de 2018
Dólar R$ 3,23
Euro R$ 3,98
Tecnologística no LinkedIn
Segunda-feira, 6 de abril de 2015 - 10h48
Embraport inicia operações ferroviárias em Santos
Pátio para realização das atividades com contêineres na linha férrea demandou investimentos de R$ 40 milhões

A Embraport, terminal portuário privado instalado na margem esquerda do Porto de Santos (SP), começou a realizar, no dia 2 de abril, operações ferroviárias em suas instalações. Pertencente à Odebrecht TransPort e à DP World, a Embraport iniciou oficialmente suas atividades em julho de 2013.

A operação ferroviária inicial foi realizada em parceria com a MRS Logística, responsável pela concessão da linha férrea, e faz parte de um contrato de longo prazo com a LG para o carregamento de aproximadamente 250 contêineres por semana (ou 500 TEUs). A carga segue rotas já utilizadas pela companhia, saindo de Santos com destino aos municípios paulistas de Sumaré e Suzano e também ao Vale do Paraíba.

O pátio da Embraport que atende às operações ferroviárias foi construído em uma área de 20 mil m² e recebeu investimentos de R$ 40 milhões de reais. O trecho interno de ferrovia possui 900 metros de extensão, opera com bitola mista e possui capacidade para movimentar 200 mil TEUs por ano. O desvio atende, inclusive, vagões double stack, que carregam dois contêineres empilhados.

O presidente da Embraport, Ernst Schulze, destaca que o início das operações ferroviárias faz parte do plano de expansão da empresa para se tornar um provedor logístico completo. “É muito importante que tenhamos entreposto, serviço de cross-docking e ferrovia. Essas facilidades levam o cliente a enxergar a Embraport como uma opção global”, destaca.

No total, o terminal da empresa possui 207 mil m² de pátio e capacidade de movimentação anual de 1,2 milhão de TEUs. Os investimentos totais foram da ordem de R$ 2,3 bilhões. Atualmente, a ferrovia responde por apenas 2% das cargas conteinerizadas que chegam ao Porto de Santos. A meta da Embraport é que, em longo prazo, os trens respondam por até 10% do total.

A empresa está investindo ainda na construção de um novo armazém alfandegado de 5 mil m² que concentrará todas as atividades relacionadas a contêieneres, como consolidação e desconsolidação de cargas fracionadas e estufagem e desova direta para caminhões. A estrutura receberá um investimento de R$ 11,8 milhões e deverá estar pronta até o final de 2015.

Comentários




Obrigado por comentar!
Erro!