Quinta-feira, 13 de agosto de 2015 - 16h11
Cavalo mecânico 8x2, da Scania
Projeto nasceu a partir da customização de caminhões 6x2 feita pelo Grupo G10

A Scania lança no mercado o cavalo mecânico com configuração de rodas 8x2, sua nova solução para o segmento de transporte de cargas de longas distâncias. O modelo está posicionado entre a composição chamada de vanderleia, com eixos espaçados, e o bitrem.

O cavalo mecânico Scania 8x2 tem capacidade para 54,5 toneladas de peso bruto total combinado (PBTC), de 37 t de carga líquida, leva carretas de três eixos e possui opções de cabines R, R Highline ou R Streamline. Além disso, o caminhão pesado da marca, o R 440, também ganhou sua versão 8x2. Dentre as vantagens do novo cavalo mecânico estão maior agilidade nas manobras e uso de dois pneus a menos que o bitrem.

Para desenvolver um cavalo mecânico com dois eixos direcionais e proporcionar excelente capacidade de manobra e perfeita distribuição de peso, foi escolhido o entre-eixos de 3.900 mm e os tanques de combustível foram removidos das laterais, com o objetivo de dar espaço ao eixo, e fixados lado a lado atrás da cabine.

Para suportar o aumento de carga sobre o cavalo 8x2, a quinta roda utilizada é a mesma dos rodoviários 6x4, que tem capacidade de 24 t. No novo modelo, a altura da quinta roda sobe em comparação ao 6x2, para evitar o contato do chassi com o implemento em situações de tráfego por terrenos irregulares ou em rampas de acesso. Outra vantagem é o reposicionamento da quinta roda em relação ao eixo de tração para melhor distribuição de carga e para garantir mais equilíbrio ao conjunto durante a viagem.

Os dois eixos direcionais são independentes e o segundo tem suspensão pneumática e suspensor. Os traseiros têm suspensão pneumática com quatro bolsões e suspensor no segundo eixo de apoio. O veículo dispõe de balança eletrônica integrada, que permite ao motorista ver no painel a informação precisa sobre a distribuição do peso. Por segurança, há uma trava mecânica para impedir o contato da estrutura do eixo com o cardam quando ele for suspenso.

O novo caminhão nasceu a partir de um conceito do Grupo G10, companhia que atua no transporte rodoviário e reúne as empresas Transpanorama, Transfalleiro, Cordiolli, Rodofaixa, VMH, G10 Transportes, G10 Auto Posto, Florescer, CTQT, G10 Seminovos e G10 Monitoramento.

Com o objetivo de reduzir custos, o Grupo G10 adaptou um cavalo mecânico 6x2 para transformá-lo em 8x2. A configuração permite o aumento de capacidade de carga em comparação à 6x2 e menor custo operacional em relação a um bitrem, mantendo a composição em conformidade com as resoluções 210 e 211 de 2006 do Conselho Nacional de Trânsito (Contran).

De acordo com a lei, é obrigatória a tração dupla para combinações cujo PBTC é igual ou superior a 27 t. O Grupo G10 fez a adaptação em oficinas independentes e a alternativa foi utilizada posteriormente por outras transportadoras. A empresa procurou então a Scania para desenvolver uma solução de fábrica. A montadora sueca, que já vinha estudando a configuração de eixos 8x2 desde 2009, acompanhou o projeto do G10 e desenvolveu internamente o novo caminhão.