Quinta-feira, 19 de julho de 2018
Dólar R$ 3,84
Euro R$ 4,47
Tecnologística no LinkedIn
Quinta-feira, 29 de outubro de 2015 - 10h38
Porto de Santos registra recorde de movimentação de cargas
Crescimento mensal foi de 18,3% em relação ao mesmo período do ano passado, subindo de 9,2 milhões para 11 milhões de toneladas

O Porto de Santos (SP) atingiu um novo recorde mensal, em setembro, com a movimentação de 11 milhões de toneladas

de cargas, elevando o acumulado do ano para um volume de 88,6 milhões de t. Os demais recordes mensais ocorreram em fevereiro, maio, julho e agosto.

O crescimento no mês foi de 18,3% em relação ao mesmo período do ano passado, subindo de 9,2 milhões para 11 milhões de toneladas. Já o movimento de janeiro a setembro cresceu 6,8% em relação a 2014, passando de 83 milhões para 88,6 milhões de toneladas.

O diretor presidente da Companhia Docas do Estado de São Paulo (Codesp), Angelino Caputo e Oliveira, que administra o Porto de Santos, afirma que, com esse desempenho, a expectativa é registrar um novo recorde anual, suplantando o estabelecido em 2013, de 114 milhões de t. Segundo o presidente, o câmbio vem favorecendo as exportações de commodities agrícolas, principalmente milho e soja, contribuindo para a elevação na movimentação de cargas em Santos.

Tanto no movimento mensal quanto no acumulado do ano, o desempenho das exportações foi determinante para esses resultados. No mês de setembro as exportações cresceram 28,1%, partindo de 6,4 milhões t, em 2014, para 8,2 milhões t, em 2015. No acumulado, os embarques cresceram 11,2%, subindo de 57,4 milhões (2014) para 63,9 milhões t (2015).

Já as importações registraram queda no mês e no acumulado do ano. Em setembro do ano passado foram 2,8 milhões t, passando para 2,7 milhões t neste ano, uma redução de 4%. No acumulado, as descargas apresentaram queda de 3,1%, partindo de 25,5 milhões t, em 2014, para 24,7 milhões t, em 2015. A movimentação por navegação de cabotagem apresentou crescimento de 22,2% no acumulado até setembro (10,3 milhões t, em 2014, para 12,6 milhões t, em 2015). Já na navegação de longo curso, o crescimento foi de 4,6% (76,0 milhões t, ante os 72,6 milhões t em 2014).

A carga conteinerizada, na navegação de cabotagem somou 6 milhões t, representando 19,7% do total de cargas movimentadas em contêineres no Porto de Santos de janeiro a setembro deste ano (30,7 milhões t). O crescimento, nesse período, da movimentação de contêineres na cabotagem foi de 40,2% e no longo curso de 1,9% (de janeiro a setembro a carga conteinerizada de longo curso somou 24,6 milhões t).

As cargas mais importadas pelo Porto de Santos, quanto ao valor, foram outros inseticidas (1,36%); outras caixas de marchas (1,33%), outras partes e acessórios de carrocerias para veículos automóveis (0.9%), outros fungicidas apresentados de outro modo (0,98%) e automóveis com motor a explosão (0,9%). Na exportação destacaram-se a soja (13,0%), o café (9,5%), açúcar (7.3%), bagaços e outros resíduos sólidos, da extração do óleo de soja (3,4%) e carnes desossadas de bovino congeladas (3,1%).

No acumulado do ano ganharam destaque a carga geral conteinerizada, nos dois fluxos, com 30,7 milhões de t (2,8 milhões teu-unidade equivalente a um contêiner de 20 pés), os embarques de soja em grãos, com 13,1 milhões de t, de açúcar, com 12,7 milhões de t e de milho, com 7,7 milhões de t.

A carga geral conteinerizada, em tonelagem, cresceu 7,7% em relação ao mesmo período do ano passado (28,5 milhões de t) e em TEUs 4,8% (2,7 milhões TEUs em 2014). Já a soja aumentou em 4,6% (em 2014 - 12,5 milhões t), o açúcar apresentou ligeiro acréscimo de 1,3% (12,5 milhões t, em 2014) e o milho foi o que mais se destacou, com um crescimento de 78,3% (4,3 milhões t em 2014).

Nas importações, os destaques positivos foram para o enxofre, aumento de 9,7% em relação ao mesmo período de 2014 e sal, crescimento de 4,6%. Os demais destaques apresentaram quedas em suas descargas. O fluxo de navios reduziu 0,5%, saindo de 3.891, em 2014, para 3.871, em 2015.

Comentários




Obrigado por comentar!
Erro!