Quarta-feira, 24 de janeiro de 2018
Dólar R$ 3,23
Euro R$ 3,98
Tecnologística no LinkedIn
Quarta-feira, 25 de novembro de 2015 - 15h03
Tegram atinge a marca de 3 mi de toneladas de grãos exportadas
Volume embarcado supera a projeção do início da operação, em março, que era de 2 milhões de toneladas este ano

O Terminal de Grãos do Maranhão (Tegram) superou a marca de 3 milhões de toneladas de grãos exportadas, segundo informações da empresa divulgadas essa semana. Partindo do Porto do Itaqui, em São Luís (MA), 52 navios deixaram o país com 2,14 milhões de toneladas de soja, 754,1 mil toneladas de milho e 138,7 mil toneladas de farelo de soja, com operação a cargo das empresas NovaAgri, Glencore, CGG Trading, Amaggi e Louis Dreyfus, que compõem o Consórcio Tegram-Itaqui.

“Ao atingirmos este resultado em novembro, superamos as nossas projeções preliminares, quando começamos a operação, em março deste ano, que eram de exportar cerca de 2 milhões de toneladas de grãos em 2015. Este desempenho também é superior à revisão desta projeção, que fizemos em setembro, que era de chegar a 3 milhões de toneladas apenas ao final deste ano”, diz Luiz Claudio Santos diretor de logística da CGG e porta-voz do Tegram

A criação do Tegram demandou investimentos superiores a R$ 600 milhões em obras e equipamentos de alta tecnologia para gerar uma capacidade de exportação de 5 milhões de toneladas de grãos ao ano, aplicados pelas empresas que compõem o consórcio. Sua operação já beneficia diretamente os produtores das regiões do Matopiba (Maranhão, Tocantins, Piauí e Bahia) e do Nordeste de Mato Grosso ao se posicionar como alternativa aos portos das regiões Sudeste e Sul do país, desafogando a logística do agronegócio. Além disso, por estar mais próximo dos principais mercados da Ásia e Europa, o terminal contribui para agilizar os processos e reduzir custos.

A primeira fase, já finalizada, envolveu a construção de quatro armazéns com capacidade estática total de 500 mil toneladas de grãos, além de uma estrutura completa para operar um berço de atracação com 15 metros de profundidade e um shiploader capaz de carregar os navios com 2,5 mil toneladas de grãos por hora. As moegas rodoviárias do Tegram permitem receber 800 caminhões a cada 24 horas para descarregamento de 32 mil toneladas por meio de oito tombadores (dois em cada armazém). A moega ferroviária permite receber trens com 80 vagões, que podem descarregar 2 mil toneladas/hora.

Em uma segunda fase, serão investidos mais cerca de R$ 100 milhões na estrutura necessária para operar mais um berço de atracação, com mais um shiploader, e na ativação de mais uma linha que permitirá dobrar a capacidade da moega ferroviária para descarregamento de 4 mil toneladas/hora. “Já demos início às avaliações do projeto para as obras da segunda fase e estimamos começar a operação no segundo semestre de 2017 ou, no mais tardar, no primeiro semestre de 2018”, conta Santos. Após a conclusão da obras, capacidade de exportação do Tegram será ampliada para 10 milhões de toneladas de grãos ao ano.

Comentários




Obrigado por comentar!
Erro!