Domingo, 22 de abril de 2018
Dólar R$ 3,41
Euro R$ 4,19
Tecnologística no LinkedIn
Segunda-feira, 11 de janeiro de 2016 - 9h32
Panalpina expande serviços logísticos de manufatura com a Ericsson
Empresa controla todo o processo – do planejamento ao controle de qualidade –, além de executar a montagem final dos equipamentos

No início de dezembro, a Ericsson inaugurou seu primeiro centro de distribuição de hardware e software pra equipamentos de telecomunicações em Dubai, o Ericsson Supply Center, localizado no empreendimento da Panalpina chamado Dubai South da Panalpina. Trata-se também do primeiro CD da companhia a unir montagem de hardware e atualização de software em um só lugar.

Em vez de manter um estoque para cobrir toda demanda possível, a Panalpina monta os produtos a partir de unidades modulares (SKD, sigla para semi-knocked down) a fim de atender os requerimentos específicos do cliente no último estágio antes do envio ao consumidor final.

A atividade é chamada pela Panalpina de serviços logísticos de manufatura (LSM, sigla para logistics manufacturing services). Além de executar a montagem final dos equipamentos, a empresa também controla o processo como um todo, desde o planejamento até o controle de qualidade. A Panalpina iniciou o serviço há dois anos e, desde então, empresas de telecomunicações tem confiado a ela cada vez mais atividades ligadas à logística de manufatura. O serviço foi oferecido primeiramente em São Paulo e no Panamá e, agora, acontece em Dubai também.

Os engenheiros e técnicos da Panalpina montam, configuram, e atualizam o software dos equipamentos de acordo com os padrões do cliente final, definidos pela Ericsson, e ainda realizam testes. Então, a empresa inspeciona e embala os equipamentos antes de entregá-los. “Podemos pedir componentes, fabricar e enviar em um só dia”, afirma Anthonie Verploegh, chefe regional de Logística da Panalpina para o Oriente Médio e a África.

O processo de configuração sob medida customiza o produto na fase mais tardia possível na cadeia de suprimento. Isso permite que materiais sejam alocados aos pedidos apenas quando necessário no processo de atendimento à demanda. “Com esta abordagem de fabricação adiada, comumente chamada de postponement, clientes como a Ericsson podem reduzir consideravelmente as necessidades de capital de giro e os tempos de espera para atendimento de pedidos”, diz.

Os clientes da Ericsson, que são as operadoras móveis da região, também se beneficiam com mais flexibilidade, menores tempos de implantação de redes e, essencialmente, maior retorno sobre o investimento na construção de suas redes.

Para trabalhar com a Ericsson, a Panalpina Dubai teve de obter uma licença comercial de montagem, além de sua licença comercial de logística. Antes disso, os novos processos alfandegários resultantes das operações de fabricação precisaram ser analisados e aprovados pela alfândega de Dubai. Desde a ativação das operações em novembro de 2015, a Panalpina concluiu com sucesso diversos testes de verificação de processo da Ericsson e, agora, está apta a montar completamente e testar diferentes gabinetes.

Comentários




Obrigado por comentar!
Erro!