Quinta-feira, 26 de abril de 2018
Dólar R$ 3,48
Euro R$ 4,24
Tecnologística no LinkedIn
Terça-feira, 22 de março de 2016 - 12h33
Empresa brasileira moderniza sistema ferroviário uruguaio
Objetivo é substituir o controle de tráfego antigo por um novo sistema automatizado, baseado em estrutura de comunicação por satélite e GPRS

A Alta Rail Technology (ART), empresa brasileira de tecnologia para o setor ferroviário, com atuação nos mercados da América Latina, África e Austrália, iniciou um projeto de modernização do controle de tráfego da malha ferroviária do Uruguai, com o objetivo de aumentar a eficiência e a segurança. A ART conquistou o contrato junto à agência governamental que responde pela gestão do setor no país, a Administración de Ferrocarriles de Estado (AFE).

O projeto visa substituir o controle de tráfego antigo por um novo sistema automatizado, baseado em estrutura de comunicação por satélite e GPRS. A solução envolve a integração de computadores de bordo, sistemas de aquisição de dados e controle centralizado. Os dispositivos de automação e comunicação, bem como os softwares empregados, são desenvolvidos pela própria ART e já são utilizados em várias ferrovias em todo o mundo.

O contrato entre a ART e a AFE segue o modelo turn key, sendo a ART a responsável integral pelo projeto de engenharia, suprimentos, integração, implantação e treinamento dos gestores, maquinistas e operadores de tráfego que passarão a usar o novo sistema.

“Com o controle por satélite de suas vias férreas e trens, a AFE dá um salto de modernização, indo diretamente do século XIX para o século XXI”, diz o presidente da entidade, Wilfredo Rodrigues. De acordo com Carlos Henrique Correa, CEO da ART, o relacionamento entre a empresa e a AFE está apenas se iniciando e as expectativas são grandes de ambas as partes.

A solução da ART contempla um sistema de controle de tráfego e dispositivos de bordo responsáveis por garantir segurança e agilidade na movimentação dos trens. Com o novo controle de tráfego, a AFE realizará o monitoramento inteligente das composições ao longo de 1.600 km de trilhos que cortam todo o país.

Serão instaladas 40 soluções embarcadas nas locomotivas, incluindo computadores de bordo, módulos de aquisição de dados e módulos de comunicação ferroviária. Isto viabilizará a operacionalização de padrões de tráfego compatíveis com as normas internacionais de segurança e com as melhores práticas de planejamento logístico. As soluções de bordo ajudam os maquinistas a cumprirem as regras operacionais, como velocidade máxima autorizada e limites de autoridade, oferecendo a função de cerca eletrônica.

O uso do dispositivo End Of Train (EOT), instalado no último vagão das composições, permite que a solução monitore a integridade da composição, garantindo maior eficiência e segurança nos cruzamentos e agilidade nas autorizações de uso de via. A comunicação entre trem e terra é feita por GPRS e com redundância via satélite, ampliando a disponibilidade do monitoramento de tráfego e controlando o custo de comunicação.

Comentários




Obrigado por comentar!
Erro!