Domingo, 22 de julho de 2018
Dólar R$ 3,77
Euro R$ 4,41
Tecnologística no LinkedIn
Quarta-feira, 4 de maio de 2016 - 14h33
Tecon Rio Grande adquire equipamento para fertilizantes
Equipamento é instalado nas empilhadeiras para que seja feita a desova deste tipo de carga em big bags de forma mais eficiente e rápida

O Tecon Rio Grande, terminal de contêineres do porto de Rio Grande (RS) administrado pelo Grupo Wilson Sons, divulga sua entrada para o segmento de fertilizantes. A companhia está adquirindo um adaptador que é instalado nas empilhadeiras para que seja feita a desova desse tipo de carga em big bags de forma mais eficiente e rápida. Com esse investimento, o Tecon poderá oferecer serviço com custo ainda mais competitivo e alinhado às práticas de segurança, meio ambiente e saúde (SMS) adotadas no Terminal.

“Nossas expectativas são muito positivas em relação à aquisição desse equipamento. Esperamos incrementar nosso número de desovas além de estimular a conteinerização de fertilizantes, carga que tradicionalmente é transportada a granel”, explica o diretor presidente do Tecon Rio Grande, Paulo Bertinetti. Após a instalação e início da operação, o Tecon não descarta a possibilidade de aumentar o número de equipamentos. Por se tratar de um equipamento simples e de uma carga que não é considerada perigosa, os colaboradores receberão capacitação interna e não terão dificuldade para se adaptar, garante o executivo.

Outra novidade do Tecon Rio Grande é um projeto de estufagem e exportação de toras, que ocasionou em um crescimento na movimentação da carga. Em janeiro e fevereiro deste ano, foram exportados 747 contêineres de madeira, um aumento de mais de 80% em relação aos 411 contêineres do primeiro bimestre de 2015.

Bertinetti explica que o projeto de estufagem de toras, o aumento da cotação do dólar em relação ao real e a oferta de produto de boa qualidade (toras de eucalipto) ajudaram a impulsionar o aumento. A localização do terminal, próxima a florestas de pinus e eucalipto, também foi um importante diferencial na atração das cargas. “Criamos uma solução completa de estufagem em que o Tecon Rio Grande gerencia todo o processo de execução, fornecendo suporte para o exportador aproveitando nosso know-how obtido nesses três anos de experiência no mercado de exportação de toras de madeira”, conta o diretor.

O Tecon espera, com isso, um movimento regular de 100 contêineres por mês, mas trabalha para ampliar para 200 contêineres a partir do segundo semestre. “Hoje trabalhamos com três clientes na estufagem, mas estamos empenhados para expandir a atuação.”

Investimentos

O grupo Wilson Sons também divulgou que a Wilson Sons Estaleiros entregou um novo OSRV (Oil Spill Recovery Vessel) para a frota brasileira. A embarcação de apoio offshore batizada como Fernando de Noronha demandou investimento de US$ 36 milhões.

Entre os diferenciais estão equipamentos para atender a situações de derramamento, a fim de cumprir exigências legais dos órgãos ambientais em campos de exploração e produção de petróleo. De presença obrigatória nessas áreas, a embarcação de apoio soma 700 metros de barreira de contenção, apresenta skimmer flutuante e convertedor, equipamento de recolhimento de óleo de todas as viscosidades, sistema para diluição do produto, radar para detecção noturna da mancha, tanque com aquecimento e à prova de explosão com capacidade de 1.050 m³ para armazenamento, e podendo bombear o resíduo para outros navios. A embarcação possui comprimento de 67,1 metros por 14 metros de largura.

Com autonomia para sete dias ininterruptos de operação e de até um mês quando em stand by, o OSRV Fernando de Noronha dispõe de 230 m² de área de convés – que comporta um barco de serviço –, tem capacidade para carga, sistema de combate a incêndios Fire Fight com quatro canhões, podendo atuar como navio de transporte entre plataformas, inclusive para resgate e evacuação de pessoas.

Comentários




Obrigado por comentar!
Erro!