Terça-feira, 16 de agosto de 2016 - 12h16
Alcis e LLamasoft estabelecem acordo
Novidade faz parte da estratégia de expansão da empresa americana no Brasil

As empresas Alcis e LLamasoft firmaram uma parceria tecnológica para oferecer ferramentas cada vez mais avançadas para os mercados de armazenagem e movimentação. De acordo com a Alcis, a aliança permitirá que as empresas de logística tenham acesso a tecnologias de classe mundial. Em breve serão apresentadas as novidades que serão geradas com a parceria.

A Alcis é uma empresa 100% brasileira que atua há 17 anos oferecendo soluções em softwares, tendo como principal produto o warehouse management system (WMS), para o gerenciamento de armazéns e centros de distribuição. Com mais de 100 clientes, a Alcis está presente com seu WMS não só no Brasil, mas também no Chile e na Argentina.

A LLamasoft está sediada em Michigan, nos Estados Unidos, e atua com ferramentas de modelagem, otimização e simulação para o supply chain. Dentre os principais clientes da companhia estão empresas como Ambev, Unilever, Pepsico, Walmart, Bunge, Monsanto, Ipiranga, Cargill, Boticário, entre outras.

“Vemos uma grande oportunidade de trazer para o Brasil o valor da otimização do transporte”, analisa Alejandro José Phillips, vice-presidente de Vendas da LLamasoft. “Em parceria com uma empresa com 17 anos de experiência no mercado, como a Alcis, que conhece os desafios do mercado brasileiro, é possível orientar os clientes para identificar oportunidades de redução de custos. A Alcis vem para complementar a estratégia de expansão e consolidação da LLamasoft no Brasil para o segmento de empresas de logística e transporte, especialmente operadores logísticos”.

“Buscamos oferecer ao mercado brasileiro mais uma oferta diferenciada de inovação tecnológica para o mercado de logística, que tem como uma de suas premissas a redução de custos com a otimização de processos”, destaca Luiz Rêgo, CEO da Alcis. “As soluções LLamasoft têm as melhores ferramentas para desenho, planejamento e otimização de processos, de tal forma que as reduções nos custos logísticos e de transporte sejam altamente significativos”, completa o executivo.