Quinta-feira, 18 de outubro de 2018
Dólar R$ 3,70
Euro R$ 4,26
Tecnologística no LinkedIn
Quarta-feira, 16 de novembro de 2016 - 9h52
TCP conclui sua primeira emissão pública de debêntures
Foram levantados R$ 588 milhões, valor acima do previsto inicialmente. Recursos serão utilizados no projeto de expansão do terminal

A TCP, empresa que administra o Terminal de Contêineres de Paranaguá (PR), concluiu, no dia 7 de novembro, sua primeira emissão de debêntures, em um total de 588 mil debêntures simples, não conversíveis em ações. As debêntures terão valor nominal unitário de R$ 1.000 e prazo de três, cinco e seis anos.tcp-divulgacao-4-capa

Com isso, a TCP arrecadou um total de R$ 588 milhões, sendo R$ 428 milhões em debêntures de infraestrutura, incentivadas pelo governo federal. Os recursos obtidos serão utilizados pela TCP nas obras de ampliação e modernização do terminal de contêineres, de acordo com a proposta de renovação antecipada do contrato de arrendamento do terminal por mais 25 anos a partir de 2024, assinada no dia 5 de março de 2016 pelo governo federal.

As obras, que agora aguardam a liberação das licenças ambientais junto ao Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) para serem iniciadas, incluem a expansão do cais de atracação do terminal, que ganhará mais 220 metros, passando a contar com 1.099 metros de extensão, a construção de dolphins exclusivos para a atracação de navios que fazem o transporte de veículos e a ampliação da retroárea do terminal, que hoje conta com 320 mil m² e passará para cerca de 500 mil m².

“Vencemos mais uma etapa no projeto de expansão e modernização do Terminal de Contêineres de Paranaguá”, diz Alexandre Rubio Teixeira Pinto, CFO da TCP. “Ao final dos investimentos, a TCP ampliará a sua capacidade dos atuais 1,5 milhão de TEUs para 2,5 milhões de TEUs”. Ele acrescenta que, com a ampliação, o terminal estará preparado para o crescimento da demanda de exportações e importações em sua área de abrangência – que inclui Paraná, São Paulo, Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, Santa Catarina e Paraguai – pelos próximos 30 anos.

“Esta foi a primeira vez que acessamos o mercado de capitais e o resultado superou nossas expectativas, já que o interesse foi consideravelmente maior do que inicialmente imaginávamos”, afirma Luiz Antonio Rodrigues Alves, CEO da TCP. “Com isso, a TCP entra para o seleto grupo de empresas brasileiras que utilizam a opção de acesso ao mercado de capitais para financiar sua expansão”, explica. A oferta de debêntures da TCP foi coordenada pelo banco BTG Pactual e pela XP Investimentos.

Comentários




Obrigado por comentar!
Erro!