Quinta-feira, 12 de janeiro de 2017 - 9h03
Riogaleão Cargo recebe certificação internacional para produtos farmacêuticos
Aeroporto é o primeiro das Américas a obter o certificado Ceiv Pharma, emitido pela Iata

O Riogaleão Cargo, terminal de cargas do Aeroporto Internacional Antônio Carlos Jobim (RJ), administrado pela concessionária Riogaleão, anunciou, neste mês de janeiro, a obtenção do certificado Centre of Excellence for Independent Validators (Ceiv) Pharma, emitido pela Associação Internacional de Transporte Aéreo (Iata) e voltado para operações com produtos farmacêuticos. O aeroporto carioca é o primeiro das Américas a obter o reconhecimento.

Adotada mundialmente, a certificação é resultado de uma série de transformações que foram promovidas no Riogaleão Cargo, com destaque para as melhorias em capacidade, infraestrutura e processos de armazenamento dos produtos, incluindo aqueless que exigem temperatura controlada, além do treinamento dos profissionais envolvidos. Os investimentos no setor de cargas do aeroporto já ultrapassam R$ 30 milhões desde o início da concessão, em agosto de 2014.

Em cerca de um ano e meio, entre a assinatura do contrato com a Iata e a emissão da certificação, o Riogaleão Cargo passou por diversas auditorias e treinamentos técnicos que atestaram que o terminal segue as melhores práticas e normas operacionais adotadas no mercado internacional, com garantia de qualidade dos serviços oferecidos e da integridade da cadeia fria, além de redução dos riscos e dos custos logísticos para os clientes do setor. Com isso, o aeroporto se consolida como uma das principais portas de entrada de produtos farmacêuticos na América Latina.

Um dos elementos fundamentais que levaram a essas conquistas foi a abertura do Terminal de Cargas (Teca) Farma 2, que triplicou a capacidade de armazenamento de cargas refrigeradas. O teca possui 11 mil m³, é totalmente automatizado e tem dois ambientes com diferentes temperaturas (de 2° a 8° e de 16° a 22°), além de docas climatizadas. No total, o Aeroporto Internacional Tom Jobim conta com 17 mil m³ de área de armazenamento com temperatura controlada.

Riogaleão

Outras mudanças exigidas pela Iata também foram adotadas, como a revisão de procedimentos e a readequação de alguns itens de infraestrutura. Hoje, cerca de 22% da receita do Riogaleão Cargo está relacionada à movimentação de cargas farmacêuticas e de  temperatura controlada.

“Quando a cadeia logística movimenta produtos farmacêuticos e sob temperatura controlada, ela não está simplesmente transportando mercadorias: está carregando insumos, medicamentos e vacinas que irão ajudar a salvar vidas, beneficiando milhares de pessoas”, destaca Patrick Fehring, diretor do Riogaleão Cargo. “A indústria farmacêutica encontra na carga aérea a velocidade e a eficiência de transporte que esses produtos de alto valor e sensíveis às variações de temperatura necessitam. Toda essa operação deve estar em conformidade com as boas práticas desde o início da coleta na origem até ser disponibilizada ao consumidor final. É nesse momento que o Riogaleão Cargo entra em cena, e a obtenção do Ceiv Pharma prova que estamos empenhados em garantir que operamos com os mais altos padrões de qualidade possíveis em nível global”, completa o executivo.

“O transporte aéreo requer, atualmente, capacitações especiais para o manuseio de produtos farmacêuticos. O Ceiv Pharma é um programa que procura implementar padrões internacionais de manuseio através da cadeia de suprimentos, endereçando os desafios da cadeia e incluindo as últimas conquistas no transporte de produtos farmacêuticos. O programa é a prova de que a indústria do transporte aéreo está realmente comprometida com os seus desafios e nos sentimos muito orgulhosos da certificação Ceiv Pharma do Riogaleão”, finaliza Carlos Ebner, diretor da Iata no Brasil.