Sábado, 16 de dezembro de 2017
Dólar R$ 3,30
Euro R$ 3,87
Tecnologística no LinkedIn
Terça-feira, 28 de novembro de 2017 - 13h44
Contrail vai operar novo terminal para contêineres em Jundiaí
Transporte ferroviário deve aumentar a eficiência na movimentação de cargas de e para o Porto de Santos

A Contrail Logística vai inaugurar, em dezembro, o Terminal Intermodal de Jundiaí (Tiju), plataforma que tem como objetivo consistir em uma solução eficiente e competitiva para exportações, importações e logística doméstica via ferrovia até o Porto de Santos (SP).

Localizado em uma área de 75 mil m² quadrados, o Tiju está situado a 30 km de Campinas (SP) e a 50 km da capital paulista, em uma das regiões mais industrializadas do país. Ele foi construído junto à linha férrea da MRS e conta com capacidade para movimentar 70 mil TEUs por ano.

A operação intermodal pode beneficiar especialmente indústrias ligadas à importação de insumos e à exportação de bens acabados localizadas em cidades próximas a Jundiaí e Campinas, como Cajamar, Louveira, Vinhedo, Valinhos, Itupeva, Salto, Campo Limpo Paulista, Várzea Paulista, Itu, Amparo e Itatiba.

A intenção é proporcionar uma alternativa mais eficiente com a utilização do transporte ferroviário, modal que oferece baixo custo, previsibilidade, acesso sem filas aos portos, segurança elevada e baixo impacto ambiental. Uma composição ferroviária com 21 vagões, por exemplo, transporta o equivalente a 42 caminhões.

Com sua localização estratégica e com a integração entre modais de transportes, o Tiju também reduz os custos dos clientes com a armazenagem de cargas, uma vez que os contêineres podem ficar na área da Contrail, liberando espaço nos estoques das indústrias. Dessa forma, o empreendimento funcionará como uma espécie de pulmão logístico, regularizando o fluxo operacional e auxiliando em períodos de grandes picos de demanda.

“Acreditamos que o transporte multimodal é a solução logística mais eficiente e sustentável e a melhor escolha nas operações envolvendo o Porto de Santos. Com a economia voltando a crescer, é fundamental para o mercado ter uma alternativa ao modal rodoviário, com custo competitivo e outras vantagens”, analisa Rodrigo Paixão, CEO da Contrail.

A companhia vai gerenciar e operar todas as atividades de transporte feitas por meio do terminal, desde o porto até o cliente. A intenção é que ao longo de 2018 o Tiju também opere com cargas com origem ou destino nos portos do Rio de Janeiro, também por meio da malha ferroviária da MRS.

Comentários




Obrigado por comentar!
Erro!