Quarta-feira, 21 de março de 2018 - 11h01
CD da Panalpina em Cajamar terá três novas câmaras
Áreas, que serão inauguradas no próximo mês de julho, contarão com umidade e temperaturas controladas

A Panalpina anunciou durante a Intermodal que irá inaugurar, no próximo mês de julho, três câmaras com umidade e temperatura controladas, que serão destinadas a operações com produtos do setor de healthcare. Localizadas no armazém da empresa instalado em Cajamar (SP), que conta com uma área total de 22 mil m², as novas estruturas ocuparão uma área de 5 mil m² e contarão com dez docas. A câmara com temperatura de -20ºC disponibilizará 30 m², já a controlada entre 2ºC e 8ºC contará com 150 m², enquanto a de 15ºC a 25ºC terá 3 mil m².

Segundo o diretor de Logística da Panalpina, Marcelo Tonet, as três câmaras ofertarão 5 mil posições-palete e a expectativa é movimentar por mês – no recebimento e na expedição – entre 10 mil e 12 mil paletes de medicamentos, cosméticos e insumos. A estimativa é de que sete clientes utilizem as novas áreas operacionais.

O executivo explica que, da movimentação esperada, 70% serão cargas de importação provenientes dos Estados Unidos, Alemanha, França e Suíça, e 30% das operações nas novas áreas serão destinadas ao mercado doméstico e à exportação para a América Latina.

Além da armazenagem e da distribuição, as estruturas que serão inauguradas em julho oferecerão os serviços de montagem de kits, etiquetagem, repacking e troca de embalagens. Para isso, 150 funcionários, operando em três turnos, serão alocados nas câmaras. A gerente de Vendas para o setor farmacêutico da Panalpina, Cássia Fernandes, salienta que as câmaras possuirão as principais licenças fornecidas pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

Tonet ressalta que a Panalpina aposta no novo empreendimento e os números reforçam a afirmação do diretor. “Hoje o segmento de healthcare representa 10% de nosso faturamento e com as inaugurações nossa meta é crescer 30%, chegando a 13% de nossa receita ao final deste ano”, divulga. Sem revelar detalhes, ele diz que do investimento previsto para o Brasil em 2018 25% serão destinados a esse projeto. O valor consolidado, contudo, não é fornecido.