Pacer fecha novos contratos nos segmentos de energia e telecomunicações - Portal Tecnologística
Sábado, 18 de agosto de 2018
Dólar R$ 3,91
Euro R$ 4,47
Tecnologística no LinkedIn
Segunda-feira, 11 de junho de 2018 - 10h10
Pacer fecha novos contratos nos segmentos de energia e telecomunicações
Operações para as chinesas State Grid e Huawei envolvem o desenvolvimento da infraestrutura brasileira nesses setores

A Pacer Logística anunciou a assinatura de dois novos contratos de prestação de serviço para as empresas multinacionais de origem chinesa State Grid e Huawei, que atuam, respectivamente, nos setores de energia elétrica e telecomunicações.

Reprodução

A State Grid iniciou, no ano passado, a construção da maior linha de transmissão de energia elétrica do Brasil e a segunda maior do mundo. Com 2,5 mil km de extensão, ela vai levar energia da Usina Hidrelétrica de Belo Monte, no Pará, para a Região Sudeste do país, e a Pacer vai realizar as operações de transporte de bobinas de alumínio para a construção do empreendimento.

Ao longo do projeto, o operador logístico vai transportar 9 mil bobinas fornecidas pela Nari, maior fabricante chinesa de equipamentos de energia elétrica. O material sairá da Ásia com destino ao Porto de Santos (SP) e será armazenado no Porto Seco de São Bernardo do Campo (SP). A Pacer vai fazer a distribuição na região do ABC e em 11 cidades, onde estão localizados os canteiros de obras da linha de transmissão.

“A flexibilidade da Pacer permitiu atender às necessidades da Nari de entrega das bobinas nos canteiros de obras durante cinco meses, em veículos abertos, adequados para esse tipo de carga”, explica Alexandre Caldas, CEO da Pacer. O investimento da Xingu-Rio Transmissora de Energia, empresa criada pela State Grid para tocar o projeto, será de R$ 9,6 bilhões. O empreendimento deve ser inaugurado em dezembro de 2019 e as obras devem gerar 16 mil empregos nos 13 canteiros principais e nos 33 de apoio.

Divulgação

O segundo contrato foi fechado com a Huawei, líder global no setor de tecnologia da informação e comunicação. As operações envolvem os serviços de transporte, armazenagem e movimentação de equipamentos de infraestrutura de telecomunicação em quatro regiões do Brasil: Norte, Nordeste, Sul e Sudeste.

O valor do contrato é de aproximadamente R$ 50 milhões para dois anos e as operações de transporte devem mobilizar mais de mil viagens por mês. Entre os equipamentos movimentados estarão desde placas eletrônicas até postes e antenas. Para esse projeto, a Pacer contará com bases em Porto Alegre, Curitiba, Recife, Fortaleza, Salvador, Manaus e Belém. O operador fará a transferência das cargas entre o centro de distribuição da Huawei situado em Sorocaba (SP) e as unidades nessas sete capitais, que funcionarão como pontos de cross-docking.

A Pacer também fará o chamado transporte de última milha entre as bases regionais e todas as áreas de instalações da Huawei nas quatro regiões do Brasil atendidas pela operação. Além disso, serão prestados serviços especiais para cargas sensíveis utilizando tratores e guindastes, quando forem necessários para as movimentações nos sites da Huawei.

“Estamos muito felizes por termos sido escolhidos como operador logístico em escala nacional por uma gigante das telecomunicações, principalmente nesse momento em que o Brasil passará por uma grande expansão de sua rede de banda larga e pela implantação da tecnologia 5G”, afirma Caldas. O executivo se refere ao projeto Internet para Todos, lançado em março deste ano pelo governo federal, que pretende levar banda larga para 70% dos municípios brasileiros e já conta com a adesão de quase 4 mil cidades.

Comentários




Obrigado por comentar!
Erro!