Domingo, 21 de outubro de 2018
Dólar R$ 3,71
Euro R$ 4,28
Tecnologística no LinkedIn
Quarta-feira, 1 de agosto de 2018 - 12h25
Panalpina retoma serviços de transporte aéreo doméstico
Operadora logística oferece soluções integradas com monitoramento da carga em tempo real

A Panalpina Brasil anunciou que está retomando seus serviços de transporte aéreo de cargas domésticas no país. De acordo com a própria operadora logística, já reconhecida pela atuação no agenciamento internacional de cargas, o objetivo é oferecer aos embarcadores nacionais mais opções de distribuição, apostando na integração de modais – incluindo o aéreo – para proporcionar uma gestão completa da cadeia, da origem até o destino final das cargas.

“O reingresso da Panalpina nesse segmento traz para o mercado brasileiro toda a expertise de um grande operador logístico global, que oferece soluções completas, com qualidade, gestão da informação, credibilidade e segurança, e que sempre aposta no desenvolvimento de novas tecnologias”, destaca o gerente de Frete Aéreo Doméstico da companhia, Valmir Campanilli.

O executivo ressalta que a operadora logística vai muito além do transporte aéreo, realizando também a gestão de todo o fluxo dos materiais embarcados, desde a relação entre fornecedores e indústria, chegando até os consumidores, por meio do transporte de produtos acabados até os pontos de venda. “Para isso, disponibilizamos a opção de integração entre os modais aéreo e rodoviário, levando as cargas dos aeroportos até os destinos finais e vice-versa.”

As soluções apresentam abrangência nacional, estão disponíveis nos modelos Standard, Express e Premium e podem ser utilizadas por empresas de todos os segmentos econômicos, como eletroeletrônico, telecomunicações, alta tecnologia, automotivo, farmacêutico, industrial e varejista.

A Panalpina conta ainda com um sistema de acompanhamento em tempo real, por meio de aplicativo móvel. “Com a utilização desse sistema, nossos representantes poderão consultar informações a qualquer hora e em qualquer lugar, conseguindo confirmar entregas, gerar ordens de serviço eletrônicas e dar baixas em serviços concluídos, agilizando todo o processo”, explica Campanilli.

Comentários




Obrigado por comentar!
Erro!
Antonio Carlos Martinsem 03/08/2018, às 12h42
O maior desafio quando um Operador Logístico dependente dos agentes de cargas aéreas no Brasil é cortar o cordão umbilical, pois o conforto do erro e do acerto é somente ter um funcionário para manter os KPI dos clientes.
Toda a infra-estrutura que os agentes adquiriram durante anos complica o processo de implantação nos grandes operadores principalmente, o controle de entregas nas pontas que muitas vezes os agentes locais de entrega, não se adéquam as normas e processos de multinacionais.
Com isto a melhor forma de manter os KPI, é montar estrutura própria o que inviabiliza o processo.
Conheço a Panalpina e sua estrutura sei que com o Campanilli este esforço sai do papel e transforma, renova a Panalpina no Brasil.