Quarta-feira, 23 de janeiro de 2019
Dólar R$ 3,76
Euro R$ 4,28
Tecnologística no LinkedIn
Segunda-feira, 7 de janeiro de 2019 - 9h13
Tietê-Paraná registra movimentação positiva em 2018
Ao todo, foram 9,7 milhões de toneladas transportadas, crescimento de 9% frente ao ano anterior

A movimentação de cargas por meio da Hidrovia Tietê-Paraná, administrada pelo Departamento Hidroviário (DH) do Estado de São Paulo, registrou no ano passado 9,7 milhões de toneladas de produtos, crescimento de 9% frente a 2017, quando o movimento chegou aos 8,9 milhões de t. As principais cargas transportadas foram soja, farelo de soja, milho, areia e cana-de-açúcar.

Para manter as boas condições de navegação e continuar o crescimento de suas movimentações para este ano de 2019, o DH está investindo na contratação de uma empresa de engenharia para a prestação de serviços de manutenção de balizamento e sinalização, incluindo topografia e batimetria. O valor do contrato é de R$ 9,2 milhões, por um prazo de 12 meses. A manutenção será executada em todo o trecho paulista da hidrovia, composto por 800 km.

Algumas ações já estão em andamento, como a obra de derrocamento do canal à jusante de Nova Avanhandava, executado em cerca de 10 km da hidrovia, justamente no ponto mais crítico para a navegação. Com a escavação, o canal de navegação de acesso à eclusa de Nova Avanhandava ganhará mais 2,4 metros de profundidade. Além disso, a obra irá possibilitar a compatibilização do uso do reservatório tanto para navegação como para geração de energia em épocas de maior estiagem, a exemplo da ocorrida em 2014 e 2015, sem trazer qualquer prejuízo à navegação e ao transporte de cargas. A obra foi iniciada em fevereiro de 2017, com investimentos de R$ 200 milhões, e tem previsão de estar concluída no final deste ano.

A Hidrovia Tietê-paraná possui 2.400 km de extensão, sendo 1.600 km no Rio Paraná, sob a responsabilidade da Administração da Hidrovia do Paraná (AHRANA), ligada ao Ministério dos Transportes, e 800 km no estado de São Paulo, sob administração do DH. Ela conecta seis dos maiores estados produtores de grãos: Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, São Paulo e Paraná.

Ao longo de toda a hidrovia estão localizados cerca de 30 terminais intermodais e estaleiros. Nos terminais, as cargas transportadas pela hidrovia são armazenadas até sua transferência para outro modal, que pode ser rodoviário ou ferroviário. Nos estaleiros, são realizadas manutenções dos comboios. Atualmente, operam na hidrovia seis empresas para transporte de cargas de médio e longo percurso. Mensalmente, navegam em média 200 comboios na Tietê-Paraná, movimentando cerca de 300 mil t de cargas por mês em plena safra.

Comentários




Obrigado por comentar!
Erro!