Quarta-feira, 6 de fevereiro de 2019 - 10h42
Imai Empresas cria prêmio para agraciar profissionais e projetos logísticos inovadores
Denominado Imai Empresas de Projetos em Supply Chain, reconhecimento destaca ações que otimizam operações, reduzindo os custos

A Imai Empresas, consultoria sediada no Rio de Janeiro especializada em processos logísticos, criou o prêmio Imai Empresas de Projetos em Supply Chain para reconhecer os profissionais que desenvolvem projetos na cadeia de abastecimento de suas empresas. O prêmio também reconhece os projetos e as empresas que registraram alto desempenho para que suas ações logísticas apresentassem os melhores resultados.

A ideia de criar o prêmio surgiu de uma necessidade de avaliar o sucesso, em diversas dimensões, dos projetos desenvolvidos pela Imai Empresas em seus clientes, destacando o papel fundamental dos profissionais envolvidos na implantação dos conceitos e nas mudanças culturais em áreas foco.

“Percebemos que, nos últimos anos, há um empenho maior por parte das empresas atendidas e de seus colaboradores para executar os projetos e aplicar conceitos emblemáticos. Focando a parte de inovação, percebemos que, apesar de acreditarem estar fazendo o que já se aplica em outras organizações do país, as empresas que atendemos estão sendo pioneiras e precisam ser reconhecidas por isso”, afirma o CEO da Imai Empresas,  Yassuo Imai.

Profissional Destaque é a primeira categoria do Prêmio Imai Empresas de Projetos em Supply Chain.  Nesse quesito, foram avaliados os profissionais que mais se dedicaram ativamente para que os resultados do projeto de logística em curso em sua empresa fossem alcançados, cumprindo metas e prazos e replicando conhecimentos e conceitos. Geneval Mota, supervisor de Produção da fabricante de produtos para bebês Petita, foi o destaqse desta categoria.

A empresa teve sua área de Produção totalmente reformulada e foi implantada a ferramenta Kanban para melhoria logística. O desafio foi mudar a cultura empresarial e o modo de produzir para ofertar o que de fato o cliente precisava, eliminando atrasos na produção, reduzindo o mix de produtos e ampliando a acuracidade dos estoques e a visibilidade da área produtiva.

A Petita também venceu a categoria Empresa Destaque, pelo amplo comprometimento da alta liderança e por ter feito os investimentos necessários, contribuindo para um novo rumo na condução dos negócios. “O projeto privilegiou a estratégia logística incorporada à cultura do negócio com peso tão grande capaz de redirecionar toda a estratégia de negócios, impactando positivamente a competitividade da empresa”, explica Imai.

Como resultado do projeto, em seis meses a Petita reorganizou sua logística e a área Produtiva, cortou em média 30% dos SKUs, o estoque de matérias-primas está próximo do que se utiliza na linha de produção e o prazo de entrega teve redução de 28 dias para menos de seis dias. Internamente, a empresa adotou a gestão a vista, fez a demarcação de locais e sinalização de piso, padronizou caixas de produtos semiacabados que ficam na linha de produção e adquiriu carrinhos (rolltainer) para facilitar a preparação de pedidos.

Já a Cristal Alimentos foi a vencedora da categoria Projetos Inovadores, por ter agregado novas tecnologias de processos e adotado as melhores práticas, referências em seu segmento no mundo. A Torre de Monitoramento de Transporte é o destaque. Segundo o diretor da Cristal Alimentos, Marcelo Madalena, ela reúne profissionais dedicados ao monitoramento e rastreamento das atividades da frota composta por 126 veículos próprios e cinco terceirizados quanto à segurança e o desempenho em rota.

Antes da estruturação, a Cristal Alimentos enfrentava problemas comuns a muitas empresas, como atraso nas entregas, baixa produtividade da frota, fraudes ou desvios de tarefas pelos motoristas, imprevisibilidade de tempo de entrega ou retorno dos veículos, além de não poder gerar relatórios comparativos de eficiência. O projeto não demorou a ser adotado: além de um espaço próprio, o departamento de Tecnologia da Informação da empresa desenvolveu os softwares da plataforma de operação, realizando a integração ao sistema de rastreamento já utilizado, possibilitando menor custo com o desenvolvimento e total aderência aos negócios da Cristal.

“Percebemos aumento na pontualidade das entregas, economia de combustível e das despesas financeiras entre 10 e 20%. Também contabilizamos maior agilidade nas entregas, amplo monitoramento do trabalho da equipe de motoristas, eliminação de brechas para fraudes e desvios de tarefas, menor índice de devoluções, maior produtividade da frota, economia de combustível e maior eficiência nos trajetos”, afirma Madalena.

De acordo com o executivo, os próximos passos da Cristal Alimentos graças à Torre de Monitoramento serão expandir mercado e frota, identificando custos e despesas desnecessárias para reduzi-las.

Comentários




Obrigado por comentar!
Erro!