Quinta-feira, 7 de março de 2019 - 10h59
Votorantim Cimentos terá centro de distribuição em Santarém
Estrutura faz parte do plano de expansão na Região Norte e terá capacidade para expedir 10 mil toneladas por mês

A Votorantim Cimentos anuncia para o segundo semestre deste ano a inauguração de um centro de distribuição em Santarém (PA). A estrutura, que faz parte do plano de investimentos da companhia na Região Norte, terá capacidade para expedir 10 mil toneladas de cimento por mês. O objetivo da empresa é que o cimento produzido na fábrica de Primavera (PA) seja enviado para Belém, de onde seguirá, via balsa, para o novo CD a fim de ser distribuído para os clientes da Região Norte, fortalecendo o nível de serviço.

O Norte do Brasil vem se tornando estratégico para a Votorantim Cimentos, por isso as estratégias de fortalecimento de atuação e aplicação de investimentos robustos em logística. Prova disso foi a aquisição de um terminal portuário em Manaus e o início, em fevereiro deste ano, da operação de cabotagem com navio exclusivo.

Ao custo de R$ 100 milhões, a aquisição do terminal na capital amazonense também compõe o plano de expansão da companhia e permite o recebimento, armazenamento, ensacamento e venda de cimento, marcando, ainda, a entrada da Votorantim Cimentos nos estados de Roraima e Amazonas. O cimento que vai abastecer a Região Norte é produzido na unidade de Laranjeiras (SE). Para viabilizar a nova operação, a empresa investiu R$ 12 milhões na reforma de silos localizados no porto de Barra dos Coqueiros, região metropolitana de Aracaju.

Segundo o diretor de Logística da Votorantim Cimentos, Alisson Forti, a logística é uma área estratégica e um dos diferenciais competitivos no atendimento aos clientes e no abastecimento de novos mercados nos quais a presença da companhia ainda não era significativa. “Com esses investimentos, fortalecemos nossa atuação na região Amazônica e contribuímos para o desenvolvimento do Norte do país”, afirma.

O navio Cement Carrier, responsável pelo transporte do cimento de Barra dos Coqueiros até Manaus, tem capacidade de 20 mil t e movimenta apenas cimento a granel. Além disso, tem capacidade de carregar uma carga de mil t por hora e tem como característica a ausência do contato do produto com o meio ambiente, mantendo-o protegido e permitindo que a embarcação siga viagem sem as tradicionais paradas em função do mau tempo, aumentando sua produtividade.

O trajeto entre o porto instalado em Sergipe e o terminal manauara é realizado em dez dias. Apenas a título de comparação, caso o modal rodoviário fosse empregado seriam necessários 500 caminhões, que gastariam três vezes mais combustível e emitiriam 25 vezes mais CO2.