Segunda-feira, 13 de maio de 2019 - 11h46
TCP conclui obras de fundação de seu novo cais de atracação
Mais de 7 mil estacas de concreto foram instaladas a 31 metros de profundidade, em média

A TCP, empresa que administra o Terminal de Contêineres de Paranaguá (PR), concluiu as obras de fundação do novo cais e da retroárea previstos no projeto de ampliação do terminal. Finalizada com três meses de antecedência e considerada a etapa mais crítica do projeto, a obra incluiu a instalação de 7.202 estacas de concreto sob o mar.

Com 60 centímetros de diâmetro e 35 metros de comprimento, as estacas foram instaladas a 31 metros de profundidade em média. Fabricadas no canteiro de obras do próprio terminal, elas servem como base de um processo tecnológico que reduz o impacto ao meio ambiente. “A forma como projetamos e estamos construindo o novo cais causa menos impacto ao ecossistema”, explica Juarez Moraes e Silva, diretor Institucional da TCP.

Divulgação
Divulgação

De acordo com o executivo, com a conclusão da fundação, as obras de ampliação do terminal entram na fase final. “A colocação das estacas é considerada uma etapa bastante complexa, uma vez que um eventual atraso impactaria todo o cronograma. Finalizamos com três meses de antecedência, o que é um sucesso muito grande.”

Moraes e Silva afirma que a empresa cumpre, rigorosamente, todas as etapas previstas no acordo de renovação antecipada do contrato de arrendamento do terminal por mais 25 anos, a partir de 2024, bem como em seus programas e projetos socioambientais. “O investimento global das obras é de R$ 600 milhões, com prazo contratual para entrega previsto para outubro de 2019. A previsão da TCP é que elas sejam entregues até o início de julho”, diz. A próxima etapa das obras prevê a instalação das vigas, laje e de acessórios como sinalização e redes elétrica e de água.

Com a expansão, a capacidade do terminal passará dos atuais 1,5 milhão de TEUs ao ano para 2,5 milhões de TEUs, garantindo ao terminal condições de atender a demanda do comércio exterior em sua área de abrangência pelos próximos 30 anos.