Quinta-feira, 22 de novembro de 2018
Dólar R$ 3,78
Euro R$ 4,33
Tecnologística no LinkedIn
Quinta-feira, 16 de fevereiro de 2017 - 14h56
Tiplam faz seu primeiro embarque de açúcar
Após embarques com milho e soja, projeto de R$ 2,7 bilhões da VLI na Baixada Santista dá mais um passo para a conclusão das obras de expansão

O Terminal Integrador Portuário Luiz Antonio Mesquita (Tiplam), que está sendo ampliado pela VLI na Baixada Santista, finalizou no dia 15 de fevereiro o primeiro embarque de navio de açúcar de sua história. A embarcação MV Andia atracou no terminal no dia 12 e recebeu 36 mil toneladas do produto da Bunge, uma das principais empresas de agronegócio e alimentos do país.VLI CAPA

Apesar de ser o primeiro teste com açúcar, este foi o quinto embarque operado pelo terminal neste ano. Nos demais, foram embarcadas cargas de milho e soja, realizadas em janeiro e começo de fevereiro. “O primeiro embarque de açúcar é mais uma etapa importante do nosso plano e demonstra que estamos preparados para o recebimento das principais commodities do Brasil. Em todas as operações conseguimos realizar taxas de embarque relevantes e estamos confiantes que o Tiplam vai contribuir muito para o escoamento desta e das próximas safras”, comenta o diretor Comercial da VLI, Fabiano Lorenzi.

"Essa é uma importante rota de escoamento para o agronegócio e representa um marco para nós, da Bunge Brasil, nossos parceiros e toda a cadeia do açúcar", diz Ricardo Carvalho, diretor Comercial de Açúcar e Bioenergia da Bunge Brasil.

O Tiplam começou a ser ampliado pela VLI em 2013. O projeto, de R$ 2,7 bilhões, encontra-se em estágio final das obras, com 96% da expansão concluída, e a previsão de entrega total é para o primeiro semestre deste ano. Quando estiver totalmente pronto e operando em sua capacidade máxima, o terminal terá envergadura para movimentar 14,5 milhões de toneladas de produtos por ano, sendo 5 milhões de grãos, 4,5 milhões de açúcar e 5 milhões de fertilizantes. Atualmente, o Tiplam movimenta cerca 2,5 milhões de toneladas de produtos importados, como enxofre e fertilizante. Além disso, toda a amônia importada pelo Brasil chega ao país pelo Tiplam.

Com previsão de ser entregue totalmente no primeiro semestre de 2017, o Tiplam contará com grande infraestrutura para armazenagem de produtos, além de carregamento, descarregamento e atracação de navios. Serão quatro berços de atracação, sendo um para embarque de açúcar, um para embarque de grãos e dois para descarga de fertilizantes. Além disso, o terminal conta hoje com dois pátios para fertilizantes, com capacidade para 60 mil e 66 mil toneladas. Quando estiver totalmente concluído, o Tiplam terá dois para armazéns de grãos, um de açúcar e outro que pode abrigar tanto açúcar quanto grãos.

Comentários




Obrigado por comentar!
Erro!