Sexta-feira, 13 de dezembro de 2013 - 10h39
Portolog deve eliminar as filas de caminhões nos portos
Sistema apresentado pela SEP busca sincronizar acesso de veículos e navios nos terminais brasileiros

O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, a Secretaria de Portos (SEP) da Presidência da República e o Ministério dos Transportes, anunciaram, na última quarta-feira, dia 11, em Brasília, um pacote de medidas que visa facilitar o escoamento da safra agrícola brasileira.

No pacote constam iniciativas de médio prazo, como a construção da Avenida Perimetral na margem esquerda do Porto de Santos (SP), e de longo prazo, como a Ferrovia de Integração Centro-Oeste (Fico), entre Campinorte (GO) e Vilhena (RO), e a extensão da Ferrovia Norte e Sul, que ligará o extremo norte da via férrea ao Porto de Vila do Conde (PA).

Mas a ação conjunta, realizada por um grupo de trabalho formado por integrantes dos três órgãos federais, apresenta também projetos de curto prazo. O objetivo principal é melhorar o transporte de grãos, em especial durante os meses de março, abril e maio do próximo ano, quando um grande volume de carga deve sair do Centro-Oeste brasileiro com destino aos principais portos do país.

A previsão é que a safra referente ao período 2013-2014 atinja aproximadamente 200 milhões de toneladas. Desse total, mais da metade deve ser destinada à exportação, o que representa um acréscimo de quase 10% em relação à safra de 2012-2013.

Uma das principais iniciativas de curto prazo é a criação de um sistema para sincronizar a chegada de caminhões e navios nos portos, chamado Cadeia Logística Portuária Inteligente, ou Portolog. A ferramenta tecnológica relaciona as datas de chegada dos navios e das cargas nos terminais com a programação e o credenciamento de veículos, para que seja possível utilizar de forma organizada a plena capacidade de acesso aos portos, evitando filas.

Em janeiro, o Portolog começará a ser implantado de forma experimental em Santos e a previsão é que já em fevereiro esteja em pleno funcionamento. O complexo portuário paulista foi escolhido por receber mais de 50% da safra agrícola exportada pelo Brasil, mas o sistema deve estar presente, em breve, em outros portos.

O projeto prevê também a construção de pátios de triagem localizados no planalto paulista. “Vamos transferir as filas formadas ao longo da estrada, sem infraestrutura, para um lugar seguro”, explicou o ministro da SEP, Antonio Henrique Silveira. As áreas destinadas às estruturas estão em processo de negociação entre a SEP e a Secretaria de Patrimônio da União, pertencente ao Ministério do Planejamento. São avaliados, no momento, um terreno de 180 mil m² na Via Anhanguera e outro de 150 mil m² na região de Ribeirão Pires.

Funcionamento

De acordo com as determinações da SEP, o terminal portuário deve informar ao Portolog, com sete dias de antecedência, a quantidade de veículos que espera receber. O sistema compatibiliza os pedidos e retorna a cada terminal a cota que será atendida. Nos embarcadores de grãos destinados ao porto, os veículos – que contarão com uma etiqueta RFID (identificação por radiofrequência) – serão cadastrados no Portolog solicitando acesso.

O terminal portuário irá então confirmar o agendamento e o Portolog informará o horário máximo e mínimo para que o veículo tenha acesso ao Pátio de Triagem da Baixada. Nos pedágios ou balanças, os agendamentos serão verificados e os caminhões serão direcionados para o Pátio de Triagem do Planalto, onde aguardam liberação, ou diretamente para a baixada.

Lá, os veículos são recepcionados automaticamente por meio de antenas de RFID. Durante todo o processo, o terminal portuário informa ao sistema Portolog, em tempo real, a confirmação de entrada e saída do caminhão.

“Todo esse esforço de sincronização também passa pelas transportadoras e pelos produtores de grãos”, ressaltou Silveira. “Em fevereiro, quando a safra começa a crescer de forma mais pronunciada, as regras estarão em plena operação”, garantiu o ministro.

Comentários




Obrigado por comentar!
Erro!