Segunda-feira, 22 de agosto de 2016 - 10h29
Pesquisa da NTC mostra aumento nos roubos de cargas
Índice cresceu 10% em 2015 na comparação com o ano anterior

A Associação Nacional do Transporte de Cargas & Logística (NTC&Logística) divulgou, na última semana, um novo levantamento a respeito dos roubos de cargas no Brasil. De acordo com a mais recente pesquisa conduzida pela entidade, referente ao ano de 2015, o número de ocorrências cresceu 10% durante o ano passado, na comparação com 2014.

Ao todo, foram 17.500 ocorrências registradas em 2014, contra 19.250 no acumulado de 2015. A estimativa é que os roubos de cargas tenham gerado um prejuízo recorde em valores, chegando a R$ 1,12 bilhão somente no ano passado. Segundo o levantamento, houve uma diminuição nos roubos de produtos metalúrgicos e um aumento exponencial nos roubos de bebidas de todos os tipos.

O Sudeste permaneceu como principal região do país em que ocorre esse tipo de crime, com 85,76% de todos os casos. São Paulo está no topo do ranking de cargas roubadas, com 44,11% das ocorrências, apesar de ter apresentado queda em 2015. Já o Rio de Janeiro registrou acréscimo no índice, representando 37,54% dos casos no ano passado, diante dos 33,54% de 2014.

Segundo o Coronel Paulo Roberto de Souza, assessor de Segurança da NTC&Logística, apesar do cenário alarmante, existe uma perspectiva positiva no combate aos roubos de cargas com a regulamentação da Lei Complementar nº 121/2006, que cria o Sistema Nacional de Prevenção, Fiscalização e Repressão ao Furto e Roubo de Veículos e Cargas.

“Com o decreto nº 8.614/2015, que estabeleceu a criação do Comitê Gestor, o sistema já tem um ponto de partida. Ele será responsável por marcar as reuniões, estabelecer diretrizes e integrar os organismos em todos os estados. Nós entendemos há anos que apenas com ações integradas teremos uma atuação efetiva no combate ao roubo de cargas. E estamos otimistas com a movimentação no Ministério da Justiça nesse sentido”, explica.

Os números da NTC&Logística têm como base dados informados pelas Secretarias de Segurança dos estados, empresas do mercado segurador, gerenciadoras de riscos e transportadoras, além de outras fontes. Ainda segundo a associação, nos últimos cinco anos a incidência de roubos de cargas no Brasil aumentou 48%, com um prejuízo acumulado de R$ 5 bilhões de reais.