Quinta-feira, 14 de junho de 2018 - 10h52
Transvip investe em ativos e foca em cargas especiais
Empresa já aplicou R$ 6 milhões em veículos e planeja agregar bitrens às operações

A Transvip Brasil, empresa de transporte de valores, segurança patrimonial, vigilância e gestão de caixas eletrônicos, anuncia que já investiu este ano R$ 6 milhões na compra de carretas e em tecnologias de segurança. Além disso, a empresa divulga que pretende ainda em 2018 oferecer serviços de transporte com bitrens.    De acordo com a companhia, a meta é focar no transporte de cargas especiais e com alto valor agregado.

A estratégia é suportada pela experiência que a empresa traz do transporte de valores. Os recursos aplicados também garantem a estabilidade das operações. A empresa investiu, há alguns anos, na compra de carretas blindadas e desenvolveu um modelo de negócio que garante que a mercadoria chegue ao seu destino em segurança. “Possuímos uma solução completa de transporte de cargas com alto valor agregado. A Transvip atua com um modelo de negócio mais seguro e barato, mantendo a eficiência do serviço”, afirma o diretor da Transvip Brasil, Marcos Guilherme Cunha.

Segundo o executivo, isso é possível porque nas outras transportadoras é comum o cliente ter que pagar o transporte, a escolta armada, o gerenciamento de risco, além de contratar vários caminhões para realizar as viagens. Na Transvip todos os serviços são agregados. “O cliente paga um valor e recebe toda a garantia de que seu produto chegará ao destino, além disso, ele também conta com um seguro já agregado ao valor da contratação que pode chegar a R$ 12 milhões”, conta.

A Transvip tem uma operação que conta com rastreamento do veículo via satélite com GPS, sistema de vídeo monitoramento, botão de pânico que envia informações a central sobre qualquer perigo, fechadura randômica, sensores de portas e sirenes e equipe armada com quatro vigilantes que viagem dentro do veículo. “Por esses e outros motivos a empresa nunca registrou nenhum sinistro nesse tipo de serviço”, afirma o diretor.