Quarta-feira, 23 de janeiro de 2019
Dólar R$ 3,76
Euro R$ 4,28
Tecnologística no LinkedIn
Segunda-feira, 10 de dezembro de 2018 - 11h32
Porto de Santos elimina totalmente o uso de papeis para atracações
Programa Porto Sem Papel agiliza o fluxo de informações no complexo portuário santista

A partir de hoje, dia 10 de dezembro, todas as solicitações de atracação de navios feitas pelas agências de navegação no Porto de Santos (SP) passam a ser totalmente eletrônicas, eliminado o uso de papel. Apesar de já serem feitas por meio do sistema Porto Sem Papel, até então as solicitações demandavam o envio de uma lista de mercadorias perigosas em papel à Companhia Docas do Estado de São Paulo (Codesp).

A medida vai eliminar o trâmite de cerca de 1,8 milhão de impressos por ano, além de agilizar o fluxo de informações para atracações no complexo portuário santista. Ela ainda vai gerar para a Codesp uma economia de aproximadamente R$ 90 mil por ano na logística que envolve esse processo e também ganhos ambientais com a eliminação do uso do papel.

Divulgação
Divulgação

Segundo o diretor-executivo do Sindicato das Agências de Navegação Marítima do Estado de São Paulo (Sindamar), José Roque, a iniciativa da Codesp vai ao encontro das expectativas das agências marítimas, pois “elimina trocas de informações não otimizadas, excesso burocrático, reduz o tempo e o custo de realização dos procedimentos e permite o funcionamento do Porto Sem Papel em sua plenitude, proporcionando evolução na logística do Porto de Santos.”

O Porto Sem Papel é um projeto que visa automatizar a prestação de informações necessárias à estadia de embarcações nos portos públicos brasileiros. Dessa forma, as agências de navegação prestam as informações aos órgãos intervenientes por meio do preenchimento do Documento Único Virtual (DUV). Antes do Porto Sem Papel os procedimentos convencionais demandavam o trâmite de 112 documentos, em diversas vias, gerando até 935 informações em duplicidade junto às seis autoridades anuentes.

Comentários




Obrigado por comentar!
Erro!