Segunda-feira, 13 de maio de 2019 - 14h40
UPS usa nuvem do Google para definir as melhores rotas de entrega
Software de roteamento gera economia de US$ 400 milhões ao ano

A UPS desenvolveu um software de roteamento que informa ao motorista as melhores rotas de entrega, bem como as etapas de cada caminho, com a ajuda da Google Cloud Platform (GCP). O projeto levou a empresa a economizar US$ 400 milhões por ano, além de reduzir o consumo de combustível de sua frota em 10 milhões de galões ao ano.

A novidade faz parte da estratégia da UPS de desenvolver uma rede global de logística cada vez mais inteligente. As enormes quantidades de dados gerados pelas suas operações auxiliam a companhia no desenho e na implementação de estratégias mais eficientes.

Hoje a UPS movimenta 21 milhões de pacotes em mais de 220 países em todo o mundo, com seu pico nas temporadas de festas de final de ano. Além disso, os motoristas realizam diariamente 120 paradas de retirada e entrega, sendo que o número de rotas possíveis que cada motorista pode fazer da parada número um até a parada 120 chega a ter 199 dígitos.

“Somos gratos pela oportunidade de colaborar com grandes empresas como o Google de uma forma que nos permite usar nossas capacidades em conjunto para reforçar a visibilidade de nossas cadeias de fornecimento em todo o mundo”, afirma Juan Perez, diretor global de informações da UPS.

Ao ajudar a UPS, o desafio do Google era permitir que a empresa utilizasse sua infraestrutura e capacidade de processamento para analisar todos esses dados e selecionar a melhor rota, considerando tempo e custo. Para isso, a empresa passou a utilizar a GCP e a ferramenta BigQuery, num esforço que permitiu rápidos avanços nas previsões de rotas feitas pelo software criado pela companhia.

Com a BigQuery, que realiza o armazenamento de dados empresariais sem servidor, a UPS passou a fazer previsões mais precisas e abrangentes com base no histórico de dados da empresa. A GCP, por outro lado, permite a execução de modelos de aprendizado de máquina em 1 bilhão de pontos de dados por dia, incluindo peso, formato, tamanho do pacote e capacidade de entrega da rede.

“Tudo isso ajuda a UPS a entregar mais pacotes a um custo mais baixo e a servir seus clientes de uma forma mais inteligente e ágil”, afirmou Thomas Kurian, CEO da Google Cloud.

Reconhecimento

Recentemente, a UPS conquistou o quarto lugar do ranking das Marcas Mais Amadas dos Estados Unidos da Morning Consult, uma lista de empresas que definem a cultura e o comércio americanos. A UPS permanece entre as top 5 desde 2017, quando a Morning Consult começou a realizar o estudo.

“Essa posição no ranking demonstra que os consumidores reconhecem nosso compromisso com um serviço de empresa líder da indústria”, diz Kevin Warren, diretor de Marketing da UPS. “À medida que buscamos soluções logísticas inovadoras, continuaremos a priorizar as demandas do consumidor do século 21 para que nossos clientes empresariais possam se beneficiar dos serviços que suportam a forte percepção de marca da UPS.”

A empresa também empatou como segunda marca mais confiável da América e ficou entre as dez melhores marcas em nove de dez categorias demográficas: Millennials (10), Geração X (4), Baby Boomers (1), Consumidores de Elite (8), Consumidores Rurais (1), Consumidores Suburbanos (5), Consumidores Urbanos (6), Homens (4) e Mulheres (5).

A classificação foi determinada por mais de 400 mil entrevistas que mediram o sentimento do consumidor em relação a favorabilidade, confiança, impacto na comunidade e Net Promoter Score (NPS), uma métrica que tem como objetivo medir a satisfação e lealdade dos clientes com as empresas.