Ibovespa
129.020,02 pts
(-0,87%)
Dólar comercial
R$ 4,97
(0,06%)
Dólar turismo
R$ 5,17
(0,14%)
Euro
R$ 5,37
(-0,21%)

Logística como fator fundamental no ESG

Por Jarlon Nogueira em 16 de janeiro de 2023 às 9h30 (atualizado às 11h32)
Jarlon Nogueira

Os impactos da demanda do consumidor em nosso planeta são mais aparentes do que nunca, evidenciados principalmente pela diminuição dos recursos naturais e pela poluição ambiental.  

Empresas em todo o mundo estão cada vez mais focadas em ESG. E fazem isso não apenas porque é a coisa certa, mas também porque se alinha com seus próprios interesses, bem como com os de seus stakeholders. 

Essas partes interessadas – não apenas funcionários e investidores, mas também clientes – estão cada vez mais dedicados às questões ambientais, sociais e de governança. Querem trabalhar, investir, fazer parcerias e comprar de empresas mais ecológicas, seguras e éticas.

O resultado? Marcas líderes reconhecem que a logística pode desempenhar um papel crítico no cumprimento de suas próprias metas ESG, por isso procuram parceiros que possam ajudá-las a atingir ou até superá-las. Ao mesmo tempo, os provedores procuram clientes que compartilhem seus valores ESG. E as oportunidades para ambos são enormes. 

O European Logistics & Supply Chain Sustainability Report 2022 apurou que, para 80% dos entrevistados, as ações destinadas a reduzir a pegada de carbono de suas operações serão fundamentais nos próximos cinco anos. 

A pesquisa perguntou aos entrevistados o que leva fabricantes, compradores e operadores logísticos a serem mais sustentáveis em seus negócios. O impulsionador mais importante para a ação ESG provou ser a necessidade de atender aos requisitos regulatórios e legais. O outro é o desejo de causar um impacto positivo no meio ambiente. 

No entanto, o caminho para a sustentabilidade não é fácil. Muitas empresas da cadeia de suprimentos operam sob pressão de alto custo, grande concorrência e margens baixas. Portanto, investir na implementação de iniciativas de sustentabilidade é um desafio. 

O Brasil está abaixo da maioria das economias desenvolvidas em emissões de carbono, energia renovável e política climática. O investimento sustentável é vital para o crescimento sustentável e, por sorte, investidores privados estão focados em financiar e apoiar soluções sustentáveis e ações de apoio ao clima.  

Provedores terceirizados comprometidos em fazer negócios da maneira certa podem agregar valor além de aumentar a eficiência e a produtividade de seus clientes. E eles podem fazer isso de várias maneiras.  

Para o meio ambiente, ajudam a tomar decisões sustentáveis, como utilizar os serviços de uma transportadora digital que prefira caminhões parceiros com emissão de CO2 menor.

A redução da pegada de carbono também pode ser conseguida ao aumentar a eficiência logística, preferindo a reformulação de rotas com percursos menores, utilização total dos baús ou o compartilhamento da carga. 

Para o social, fornecer um local de trabalho seguro e ajudar a construir uma cultura de inclusão e pertencimento. E para governança, construir a confiança por meio de gerenciamento de risco inteligente e práticas de governança sólidas. Todos esses exemplos de agregação de valor para os clientes podem transformar a logística em uma vantagem competitiva.

O ESG deve se tornar parte do DNA das empresas o quanto antes: os líderes empresariais encontram-se em um ponto crítico de escolha: evoluir ou enfrentar a força dos stakeholders. 

O setor logístico tem conhecimento e tecnologia para abraçar o ESG e liderar o caminho para negócios e crescimento sustentáveis.  

Logística como fator fundamental no ESG
Jarlon Nogueira, CEO da AgregaLog
Usamos cookies e tecnologias semelhantes para melhorar sua experiência, analisar estatísticas e personalizar a publicidade. Ao prosseguir no site, você concorda com esse uso, em conformidade com a Política de Privacidade.
Aceitar
Gerenciar