Ibovespa
129.418,65 pts
(0,16%)
Dólar comercial
R$ 5,48
(0,95%)
Dólar turismo
R$ 5,68
(0,67%)
Euro
R$ 5,99
(1,19%)

Operadores logisticos promovem diversidade para melhorar local de trabalho e produtividade, aponta Abol

Pesquisa revela impacto positivo de políticas inclusivas para profissionais LGBTQIAPN+ nas empresas
Por Redação em 1 de julho de 2024 às 7h10
Operadores logisticos promovem diversidade para melhorar local de trabalho e produtividade, aponta Abol
Foto: Reprodução/Pixabay
Foto: Reprodução/Pixabay

Uma pesquisa recente da revista Management Science revelou que empresas com políticas inclusivas para profissionais LGBTQIAPN+ demonstram um índice de inovação significativamente maior. Além disso, um estudo da Out Now Global apontou que 75% dos LGBTQIAPN+ declarados acreditam ser mais produtivos no trabalho. Diante desses resultados, as empresas filiadas à Associação Brasileira dos Operadores Logísticos (Abol) estão implementando políticas que gerem oportunidades para pessoas desse grupo, fomentando a inovação e melhorando as tomadas de decisão.

No mês do orgulho LGBTQIAPN+, empresas como Santos Brasil, Tegma, Bravo, Fedex e FM Logistics garantem que a pluralidade fortalece a organização, contribui para um local de trabalho mais justo e equitativo, e melhora o engajamento e o relacionamento com o cliente. Por meio de ações constantes, as empresas se comprometem a promover a diversidade e a inclusão LGBTQIAPN+, criando relações interpessoais baseadas na confiança, abertura e acolhimento às diferenças.

“Dentro desse cenário, a ABOL também trabalha em prol da equidade de direitos e tratamento entre todos os tipos de pessoas, incluindo debates sobre Diversidade, Equidade e Inclusão (DEI) no cronograma de trabalho desenvolvido pela diretoria de capital humano. Entendemos a importância de os OLs criarem uma política de contratação orientada para a diversificação de equipes, de forma a combater o preconceito e a criar uma cultura organizacional justa e que ampare as minorias”, destaca a diretora executiva da ABOL, Marcella Cunha.

Na Santos Brasil, 70 ações relacionadas ao tema estão previstas até 2025. As medidas incluem um Censo de Diversidade anual para identificar a percepção de equidade, inclusão e pertencimento de todos na empresa, assim como para mapear pontos de melhoria. Além disso, há dois anos foi implantado um Banco de Talentos de Diversidade e Inclusão para que pessoas de grupos minorizados possam se destacar. Já foram oferecidas 108 vagas em cargos diversos.

A realização da Jornada de Diversidade, com eventos e workshops voltados aos funcionários para conscientizar sobre a importância da diversidade, também faz parte das abordagens da Santos Brasil, que conta com políticas claras contra a discriminação baseada na orientação sexual e identidade de gênero.

Entre os benefícios, em caso de casais homoafetivos, o funcionário pode ter seu companheiro incluído como dependente da assistência médica, desde que tenham união legalmente comprovada. Também é oferecida licença gala para casamentos homoafetivos.

A FM Logistics tem transformado mentalidades e culturas ao desenvolver um trabalho contínuo de conscientização e letramento da liderança e equipes por meio de grupos de escuta e discussões sobre vieses inconscientes, racismo, machismo estrutural, igualdade de gênero, LGBTfobia, entre outros temas.

A Tegma possui um programa de diversidade e inclusão com etapas que envolvem sensibilização de todos, especialmente das lideranças, realização de um censo para mapear a situação atual e gerar ações direcionadas ao tema, criação de uma política de Diversidade e Inclusão e adequação dos processos seletivos para atração de grupos diversos.

A Bravo Serviços Logísticos tem o Grupo Focal LGBT, cuja premissa é garantir que todas as pessoas LGBTQIAPN+ se sintam acolhidas e respeitadas no ambiente de trabalho. A cada dois anos, é realizado o Diagnóstico de DEI (Diversidade, Equidade e Inclusão), atualizando os números informados e sabendo o número de representatividade deste grupo sem invadir a privacidade das pessoas.

A Fedex dispõe de uma parceria com a Transempregos, um projeto de empregabilidade para pessoas transgêneras que conta com o maior banco de dados de currículos e vagas deste segmento no Brasil. Todos os processos seletivos são divulgados na plataforma.

Desde 2020, a empresa estabeleceu, globalmente, quatro pilares estratégicos para enquadrar o trabalho de DEI e compartilhar o progresso: Nossa Gente; Nossa Educação e Engajamento; Nossas Comunidades, Clientes e Fornecedores e Nossa História. No Brasil, há um trabalho ativo coordenado pelo Comitê de Diversidade que orienta os cinco grupos de afinidade: Gênero, Raça, LGBTQIAPN+, Geracional e Pessoas com Deficiência. A companhia é reconhecida internacionalmente pela Newsweek como um dos melhores locais de trabalho da América para a diversidade e para a comunidade LGBTQIAPN+.

“O direcionamento dado pelos OLs mostra a busca das empresas por uma sociedade mais justa, respeitosa e íntegra. O respeito humano e a responsabilidade social já estão presentes no DNA das nossas associadas, havendo uma consciência de que a DEI deve estar sempre na vanguarda da estratégia de negócios. Sabemos que há um longo caminho a ser percorrido, mas estamos fazendo a nossa parte, impactando positivamente toda a sociedade”, finaliza Marcella.

Usamos cookies e tecnologias semelhantes para melhorar sua experiência, analisar estatísticas e personalizar a publicidade. Ao prosseguir no site, você concorda com esse uso, em conformidade com a Política de Privacidade.
Aceitar
Gerenciar