Ibovespa
120.340,30 pts
(0,59%)
Dólar comercial
R$ 5,44
(0,15%)
Dólar turismo
R$ 5,66
(0,59%)
Euro
R$ 5,85
(0,22%)

Mercado de galpões logísticos de SP registra queda na taxa de vacância em janeiro

Redução foi de 0,34 pontos percentuais
Por Redação em 28 de fevereiro de 2023 às 10h25 (atualizado às 10h26)
Mercado de galpões logísticos de SP registra queda na taxa de vacância em janeiro

O mercado de galpões logísticos de São Paulo registrou novas absorções líquidas em janeiro, segundo o levantamento da Cushman & Wakefield. O primeiro mês do ano apresentou um resultado 64.163 m², reduzindo a taxa de vacância de 0,34 p.p. e atingindo 11,96%.

As principais cidades responsáveis pelo resultado positivo de absorção no mês foram Guarulhos (47.358 m²), Cajamar (20.096 m²) e Atibaia (6.763 m²). O preço pedido não apresentou variações significativas, e fechou janeiro custando R$ 23,95 por m²/mês. A capital paulista possui o maior preço do estado custando R$ 37,26 por m²/mês.

Santa Catarina se destaca com locações de novos estoques
Após duas novas entregas no mês totalizando 41.666 m² de novos estoques entregues, os quais já estavam 100% pré-locados, Santa Catarina ganha destaque entre os outros estados do país. Com isso, a região apresentou o maior valor líquido absorvido. Em seguida, o Rio de Janeiro voltou a apresentar resultados positivos (27.164 m²) assim como havia registrado em dezembro. Minas Gerais também encerrou com valores positivos (16.388 m²). Já o Rio Grande do Sul apresentou absorção líquida negativa pelo segundo mês consecutivo (-26.050 m²).

LEIA TAMBÉM: Mercado de condomínios logísticos registra aumento de 16% no preço médio

A taxa de vacância média nos outros estados do Brasil é de 4,82%, bem abaixo da média do estado de São Paulo (11,96%). Amazonas, com estoque total de 307.359 m², atualmente não possui área vaga para locação de escritórios de alto padrão. Em seguida, as regiões com menores taxas de vacância são Pernambuco (1,04%) e Minas Gerais (2,34%), enquanto as maiores são Rio Grande do Sul (24,51%), Santa Catarina (20,95%) e Rio de Janeiro (15,73%). Bahia atualmente possui o maior preço médio pedido entre estes estados (R$ 26,00 por m²/mês), enquanto Ceará detém o menor (R$ 14,89 por m²/mês).

Usamos cookies e tecnologias semelhantes para melhorar sua experiência, analisar estatísticas e personalizar a publicidade. Ao prosseguir no site, você concorda com esse uso, em conformidade com a Política de Privacidade.
Aceitar
Gerenciar