Ibovespa
124.305,57 pts
(-0,34%)
Dólar comercial
R$ 5,17
(0,27%)
Dólar turismo
R$ 5,37
(0,22%)
Euro
R$ 5,61
(0,64%)

Exportações de rochas ornamentais crescem quase 11% no 1o semestre

Números promoveram superávit na balança comercial do setor
Por Redação em 5 de agosto de 2022 às 13h30
Exportações de rochas ornamentais crescem quase 11% no 1o semestre

O setor de rochas ornamentais nacional registrou, no primeiro semestre deste ano, um faturamento total de US$ 634 milhões, evolução de 10,92%em relação ao mesmo período do ano passado. Os dados foram divulgados pelo Centro Brasileiro dos Exportadores de Rochas Ornamentais (Centrorochas), que prevê fechamento do ano com faturamento superior a US$ 1,4 bilhão. 

No ano passado, o setor fechou o ano com US$ 1,34 bilhão em faturamento. De janeiro a junho deste ano, o arranjo produtivo de rochas importou US$ 12,68 milhões, promovendo um superavit de US$ 622 milhões na balança comercial do segmento. 

“O aquecimento da construção civil mundial, o desenvolvimento de ações inéditas para o setor de rochas por meio do convênio setorial e ainda o investimento que as empresas do segmento têm feito em seu parque fabril podem ter contribuído para essa evolução. Mas é importante lembrar que esse número poderia ter sido maior, não fosse a guerra entre Rússia e Ucrânia”, explica o presidente do Centrorochas, Tales Machado. 

Outro ponto importante apresentado no primeiro semestre deste ano foi a evolução do preço médio dos materiais brasileiros, que registraram aumento de 15,04% em relação ao mesmo período de 2021. O arranjo produtivo de rochas, como vários outros setores, vem sofrendo com reajustes constantes nos fretes marítimos devido aos problemas logísticos em decorrência da pandemia e a desvalorização do dólar.  

Os Estados Unidos permanecem como principal destino para os produtos brasileiros, representando aproximadamente 57% de toda exportação nacional. Em uma análise mais minuciosa, excluindo os materiais brutos, os americanos se tornam ainda mais importantes, representando quase 74% do total de materiais acabados exportados. Seguindo o mesmo raciocínio, o mercado mexicano vem na sequência, com 5% de participação, e o Reino Unido em seguida, com cerca de 3%. 

Observando o comportamento dos materiais brutos exportados, a China segue sólida como o maior importador, consumindo aproximadamente 60% dos blocos de rochas comercializados pelo Brasil. Em seguida vem a Itália, com 29%. 

Espírito Santo (80,54%), Minas Gerais (11,45%) e Ceará (3,42%) foram os estados que puxaram as exportações nacionais no primeiro semestre deste ano. 

Usamos cookies e tecnologias semelhantes para melhorar sua experiência, analisar estatísticas e personalizar a publicidade. Ao prosseguir no site, você concorda com esse uso, em conformidade com a Política de Privacidade.
Aceitar
Gerenciar