Ibovespa
122.636,96 pts
(1,07%)
Dólar comercial
R$ 5,39
(-0,92%)
Dólar turismo
R$ 5,60
(-1,09%)
Euro
R$ 5,79
(-0,51%)

Estação crescimento

Por Redação em 8 de outubro de 2003 às 16h08 (atualizado em 10/05/2011 às 14h06)

A Maxion acaba de fechar o contrato de arrendamento de dois dos quatro fornos de fudição da antiga Cobrasma, em Osasco (SP), e um galpão de 12 mil m2 em Hortolândia (SP), também pertencente à empresa. Com o contrato, a Amsted Maxion, fábrica de vagões da qual a Iochpe Maxion participa, poderá dobrar sua produção das atuais duas mil para cinco mil unidades ao ano, atendendo aos pedidos da Companhia Vale do Rio Doce. A fabricação começará em janeiro de 2004.

A notícia significa a reativação de metade da Cobrasma, construída nos anos do chamado "milagre brasileiro" (década de 70) e fechada há 10 anos. De acordo com a Associação Nacional de Transportadores Ferroviários – ANTF – entre 2004 e 2006, as operadoras de carga pretendem adquirir 13.948 vagões. Esse número é três vezes maior se comparado ao triênio 2001-2003. O grosso das encomendas está concentrado em 2004, quando as ferrovias comprarão 6.355 vagões.

O ressurgimento da indústria ferroviária será também um dos temas tratados na feira e seminário Negócio nos Trilhos 2003, que acontece entre os dias 28 e 30 de outubro, no ITM Expo, em São Paulo.

Maxion Iochpe: (11) 5508-3800
www.maxion.com.br
ANTF
www.antf.org.br

Usamos cookies e tecnologias semelhantes para melhorar sua experiência, analisar estatísticas e personalizar a publicidade. Ao prosseguir no site, você concorda com esse uso, em conformidade com a Política de Privacidade.
Aceitar
Gerenciar