Ibovespa
125.124,30 pts
(0,75%)
Dólar comercial
R$ 5,20
(-0,96%)
Dólar turismo
R$ 5,41
(-1,20%)
Euro
R$ 5,54
(-0,86%)

Diretora da CNT aponta falta de infraestrutura no Brasil como grande desafio do setor de logística

Em evento promovido pela Abol, Fernanda Rezende disse que as malhas de transporte no país não são bem distribuídas
Por Raphael Minho em 12 de abril de 2023 às 11h11 (atualizado em 14/04/2023 às 16h55)
Diretora da CNT aponta falta de infraestrutura no Brasil como grande desafio do setor de logística

Durante o seminário realizado pela Associação Brasileira de Operadores Logísticos (Abol), em Brasília (DF), na manhã desta quarta-feira (12), a diretora executiva adjunta da Confederação Nacional do Transporte (CNT), Fernanda Rezende, citou as malhas de transporte no país como o principal desafio do setor de logística. Para ela, as malhas não estão bem distribuídas pelo Brasil e não estão adequadas às necessidades do segmento.

"Nós somos um país rodoviário, então a maioria das entregas são feitas através desta modalidade, e hoje somente 12% da nossa malha rodoviária é pavimentada. Isso corresponde a cerca de 200 mil quilômetros de malha pavimenta", afirma Rezende.

Com isso, a diretora executiva adjunta da CNT avalia que a conjuntura dificulta uma operação eficiente das empresas de logística na tentativa de reduzir os prazos de entrega em pequenos centros urbanos.

LEIA TAMBÉM: Firjan critica ociosidade do aeroporto do Galeão: Inaceitável recorrer a outros estados

O cenário não é muito diferente quando o assunto é a qualidade das rodovias. De acordo com Fernanda Rezende, a CNT monitora anualmente 100% das rodovias federais e parte das extensões das rodovias estaduais.

"A CNT percorre cerca de 110 mil quilômetros de malhas pavimentadas. [...] E o resultado que a gente encontrou na última edição é que 66% dessas rodovias estão em estado regular, ruim ou péssimo. Ou seja, tem algum problema no pavimento, geometria da via, e tem ausência ou insuficiência de sinalização, e isso gera custos para o transportador", pontua.

A CNT ainda estima que apenas as deficiências no pavimento causem um custo operacional 33% maior para os transportadores que atuam com entregas em pequenos centros urbanos.

Tags abol cnt
Usamos cookies e tecnologias semelhantes para melhorar sua experiência, analisar estatísticas e personalizar a publicidade. Ao prosseguir no site, você concorda com esse uso, em conformidade com a Política de Privacidade.
Aceitar
Gerenciar