Ibovespa
126.134,58 pts
(-0,27%)
Dólar comercial
R$ 5,65
(-0,16%)
Dólar turismo
R$ 5,86
(-0,14%)
Euro
R$ 6,13
(-0,07%)

Carregamentos de grãos devem crescer em Paranaguá com arrendamentos de terminais

Três áreas devem ser concedidas à iniciativa privada já no ano que vem
Por Redação em 26 de setembro de 2017 às 12h02 (atualizado às 12h03)

Três novos arrendamentos de áreas no Porto de Paranaguá (PR) devem promover um aumento de 57% na capacidade de carregamento diária de grãos do complexo, de acordo com a Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina (Appa). Os processos de concessão serão conduzidos pela Secretaria Nacional de Portos, que atualmente está realizando ajustes finais nos projetos.

As concessões acontecerão mediante processo público e o prazo previsto para a seleção dos futuros arrendatários é 2018. “Não se trata da privatização do porto público, mas sim do arrendamento de algumas áreas disponíveis para a construção de novos armazéns graneleiros, que irão se interligar às áreas primárias públicas do porto”, explica o diretor-presidente da Appa, Luiz Henrique Dividino.

Atualmente, o Corredor de Exportação (Corex) do Porto de Paranaguá conta com dez empresas atuando, além de uma em fase de implantação. A capacidade estática do Corex gira em torno de 1,5 milhão de toneladas, com capacidade de embarque estimada em 140 mil toneladas por dia, utilizando seis shiploaders.

Carregamentos de grãos devem crescer em Paranaguá com arrendamentos de terminais

“Com a implantação de dois novos armazéns e a inclusão de dois novos berços de atracação no Corex, a capacidade estática passará para 1,8 milhão de toneladas, ou seja, 20% a mais do que a capacidade atual”, explica Dividino. “Já a capacidade de carregamento diária terá um aumento de 57%, chegando a 220 mil toneladas”, completa.

Os três arrendamentos se referem a terminais destinados à movimentação de granéis sólidos vegetais e apresentam prazos de concessão de 35 anos. O Par-07, com área de 45.358 m² e situado dentro do complexo do Corex, deve demandar investimentos de aproximadamente R$ 328 milhões para o desenvolvimento do terminal e a construção de um berço de atracação no píer em forma de T.

O Par-08, por sua vez, localizado em frente ao berço 213, apresenta 41.129 m², precisará de um aporte de R$ 399 milhões e também inclui a construção do píer em T. Por fim, para o terminal portuário Par-XX, com área de 22.853 m² e situado onde se encontra atualmente o almoxarifado da Appa, além do terreno ao lado, serão necessários investimentos de aproximadamente R$ 193 milhões.

“Com a implantação desses novos projetos, a Appa pretende atender os navios na forma de janela de atracação, ou seja, com data marcada, zerando o tempo de espera para atracação, garantindo o pronto atendimento aos exportadores do Paraná e do Brasil”, finaliza Dividino.

Usamos cookies e tecnologias semelhantes para melhorar sua experiência, analisar estatísticas e personalizar a publicidade. Ao prosseguir no site, você concorda com esse uso, em conformidade com a Política de Privacidade.
Aceitar
Gerenciar